Em entrevista ao jornal inglês 'The Times', o internacional francês falou sobre o número de casos de racismo no futebol britânico, que tem vindo a aumentar nos últimos anos.

Paul Pogba garante que nunca pensou sequer em deixar um jogo a meio devido aos comentários racista que já recebeu e admite ter uma forma de lidar com o problema.

"Já passei por esse tipo de experiência e é muito triste ouvir isso dentro de campo. Os adeptos que fazem isso têm jogadores negros nas suas equipas, por isso nem sei dizer se são racistas, ignorantes ou se apenas não querem que não jogues bem", lamentou.

Paul Pogba lembrou ainda que "uma vez, num jogo com a Fiorentina, mal saí do banco e começaram-me a fazer sons de macaco, mas eu dei-lhes a minha camisola e eles ficaram contentes. No final, aplaudiram-me. Só quero que percebam que gostamos de jogar futebol e que o mundo é mais bonito com todas as cores e culturas diferentes".

"Quero jogar e marcar pela minha equipa. No final, eles vêm e pedem uma fotografia", disse Pobga, que chegou também a ser criticado pelo elevado valor da sua transferência.

"Tornei-me noutro jogador por causa da transferência. Como foi a maior da história naquela altura, fui julgado de forma diferente. As pessoas esperam mais por causa do preço. Um grande jogo torna-se num jogo normal", referiu o médio francês.

Recorde-se que Paul Pogba chegou ao Manchester United em 2006, proveniente dos italianos da Juventus, a troco de 100 milhões de euros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.