A Premier League está a ultimar o contrato dos direitos de televisão para o triénio 2019-2022, a vigorar no exterior. De acordo com o jornal 'The Telegraph', o novo contrato pode ameaçar o equilíbrio da Premier League, uma vez que prevê a atribuição de uma verba superior aos emblemas do topo da tabela.

Até agora, todos os clubes da Liga Inglesa recebiam o mesmo montante proveniente da venda dos direitos de televisão para o estrangeiro mas, os seis principais emblemas da prova (Manchester United, Manchester City, Arsenal, Chelsea, Liverpool e Tottenham), conseguiram introduzir uma norma no novo vínculo que lhes garante mais 87 milhões de euros do que os outros emblemas, num ciclo de três anos.

Diz o jornal que o novo contrato, em fase de conclusão, será superior a 4 mil milhões de libras (4,6 mil milhões de euros), num aumento de 25 por cento em relação ao anterior vínculo. Este aumento vai em sentido contrário ao verificado nos direitos de televisão da Premier League a nível interno, que passaram dos 6,1 mil milhões de euros para 5,8 milhões de euros.

Neste momento, cada emblema da Premier League recebe 47 milhões de euros dos direitos de televisão para o exterior, independentemente da sua posição na tabela da Premier League. Mas com o novo contrato, o 'The Telegraph' adianta que o último classificado irá receber mais 1,4 milhões de euros, mas o campeão, por exemplo, receberá mais 27,7 milhões de euros, em relação ao anterior contrato de direitos televisivos para o exterior.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.