Em entrevista à BeIn Sports, Ryan Giggs admite que Alex Ferguson discutia muito com os seus jogadores, mas que tinha quatro exceções. Cristiano Ronaldo era uma delas.

"A maioria das vezes era por questões futebolísticas. Os caprichos de Beckham eram já demasiados. Discutiam a cada duas semanas e aquele era o momento para que as partes se separassem. Isto aconteceu várias vezes", recordou o antigo jogador do Manchester United.

"Suspenderam-me o salário seis ou sete vezes por discutir com ele. Não é agradável entrar no balneário depois de um jogo e ouvir dizer que não jogaste nada. Mais tarde ele mostrou que até apreciava que eu discutisse, mostrava que me importava, mas multava-me na mesma porque gostava de mostrar que ele é que mandava", acrescentou.

Ryan Giggs admitiu então que "só havia três ou quatro jogadores com quem ele nunca se zangava: Eric Cantona, Bryan Robson, Roy Keane e Cristiano Ronaldo".

"Eles faziam as coisas em campo, então ele nunca sentiu que precisava de os apertar. Houve alguns jogos em que Cantona não fez nada. Não marcava, não estava a correr como Tevez ou Rooney, não tinha qualquer impacto. Mas Ferguson sabia que, mais cedo ou mais tarde, ele iria fazer algo grandioso", salientou Ryan Giggs.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.