O presidente do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Vítor Pereira, admitiu hoje que a Academia de Arbitragem do organismo poderá ser o primeiro passo para a profissionalização da classe.

«Com este novo paradigma formativo, tanto os árbitros como os observadores ficarão melhor qualificados para responder às atuais necessidades do futebol e às expectativas dos adeptos», disse Vítor Pereira, na apresentação da Academia de Arbitragem da FPF, que decorreu hoje em Coimbra.

Em declarações reproduzidas no sítio da FPF, o presidente do CA acrescentou: «A profissionalização surgirá como consequência natural e lógica de todo este processo formativo e de carreira, sendo os árbitros melhor qualificados e tendo novos saberes que os prepara para o mais alto nível competitivo».

Além da Academia, que tem como principal objetivo promover «uma formação mais sólida e de excelência a árbitros e observadores», foi apresentado o livro Plano Nacional de Formação de Árbitros e Observadores.

A Academia de Arbitragem será composta pelos presidente do CA da FPF, Vítor Pereira, pelo vice-presidente do CA, Antonino Silva, respetivamente, e por mais quatro elementos de várias estruturas da FPF.

Na sexta-feira, David Elleray, membro do Comité de Árbitros da UEFA, elogiou a criação da Academia de Arbitragem, que considerou uma mais-valia para o desenvolvimento da modalidade em Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.