Rúben Amorim deixou o aviso após a partida frente ao Belenenses SAD. O Sporting voltou a entrar mal num encontro. Já o tinha feito frente ao V. Guimarães. Deu oxigénio ao adversário, falhava na primeira fase de construção, com muitas perdas de bola.

Os leões de Amorim ainda não estão assim tão tarimbados nestas andanças. Há muito pouco tempo, vários andavam pelos juniores e pela equipa de sub-23.

Veja o resumo da partida

O primeiro golo da partida surgiu numa desatenção. Perda de bola de Eduardo Quaresma - num trio com Coates e Borja (Rendeu Mathieu que deu por terminada a carreira). Cruzamento tirado a régua e esquadro e golo de Licá. Nada de surpreendente para quem viu os primeiros minutos da partida.

Com dificuldades em furar, o Sporting só lá chegou de bola parada, num capítulo de jogo em que a equipa de Amorim tem estado deveras inspirada. Canto de Plata e cabeceamento de Coates. O golo do empate e um festejo de 11 Mathieus, com o pensamento num francês que na hora da despedida mais parecia nascido e criado em terras de Alcochete.

O golo era o tónico certo para acordar o leão adormecido. Aos 36´, chegou a reviravolta pelo homem do momento no Sporting. Jovane num lance acrobático finalizou da melhor forma a solicitação de Ristovski (Entrou na equipa para o lugar de Rafael Camacho).

A vantagem foi dilatada numa grande penalidade convertida pelo luso-caboverdiano em cima do intervalo. Jovane deixaria a equipa no descanso. Para o seu lugar, Francisco Geraldes. Um médio que procura (finalmente) mostrar os créditos com a camisola verde e branca.

Na segunda parte, a toada mudou. As duas equipas, com três centrais e meio campo reforçado tinham-se encaixado na primeira parte. Na outra metade, o Sporting ganhou superioridade no miolo, chamando para si a posse. A equipa azul passou a correr atrás da bola frente a um conjunto acutilante e jovem, que ainda está a aprender a gerir os momentos do jogo.

Rúben Amorim ainda não sabe o que é perder como treinador do Sporting.

Momento

O 3-1 de Jovane à beira do intervalo. Tirou margem de manobra aos azuis na segunda parte.

Melhores

Wendel

Tanto gás. Quem o viu e quem o vê. Transportador exímio, o ataque do Sporting passa sempre pelos seus pés. Pedra essencial na manobra da equipa de Rúben Amorim.

Francisco Geraldes

Não abriu o livro, mas mostrou a melhor face desde que se estreou na equipa principal do Sporting. Soube meter gelo no jogo, acrescentou mais consistência ao meio campo e maior pressão sobre a equipa dos azuis. Tentou a sorte com vários remates perigosos.

Jovane

Três jogos consecutivos a marcar no Sporting. É o dínamo desta equipa de Rúben Amorim. Saiu ao intervalo devido a limitações físicas.

Licá

Marcou o golo do Belenenses SAD e teve outro tento que foi anulado. Enquanto teve pilhas foi dos melhores da equipa de Petit. Acabou substituído ao minuto 68.

Reações

Petit: "Tenho de estar orgulhoso pelo que os jogadores fizeram"

Rúben Amorim: "Não entrámos bem, haverá o dia em que não conseguimos dar a volta"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.