O Rio Ave surpreendeu tudo e todos e venceu sábado em Alvalade por 3-2, à quarta jornada da I Liga, naquela que foi a primeira derrota dos leões na corrente temporada. O jogo tão cedo não sairá da memória dos adeptos leoninos pelos erros de palmatória cometidos pelo experiente Coates. O uruguaio cometeu três penáltis sobre o mesmo adversário e acabou mesmo expulso do encontro. O Rio Ave não realizou um único remate à baliza de Renan Ribeiro para além dos tiros certeiros da marca dos 11 metros.

A equipa de Carlos Carvalhal inaugurou o marcador logo aos seis minutos, com um penálti de Filipe Augusto, o primeiro do encontro cometido por Coates. O Sporting deu a volta com golos de Bruno Fernandes e Luiz Phellype, aos 20 e 53. No entanto, nova reviravolta, desta vez do Rio Ave e com mais dois penáltis, aos 86 (Ronan) e aos 90+1 (Filipe Augusto), que fixaram o resultado final.

O Jogo: Entrada forte dos leões, mas com golo do adversário e erros defensivos básicos ao longo do encontro

À semelhança do que já tem acontecido nos últimos jogos, o Sporting voltou a entrar forte e a pressionar alto, postura que tem dado 'frutos', como aconteceu nas partidas frente a Sporting de Braga - golo aos 16 minutos -  e ao Portimonense - dois golos nos primeiros cinco minutos -, mas Carlos Carvalhal, precavido, fez o que os 'leões' talvez não contassem.

O conjunto vilacondense surpreendeu o Sporting com uma entrada muito forte no jogo, bloco alto, compacto, a pressionar todo no meio-campo contrário e a colocar seis unidades no processo ofensivo, postura que valeu a marcação de um golo logo abrir.

Aproveitando uma entrada em falso da formação de Alvalade, que cometeu uma grande penalidade aos seis minutos, numa falta de Coates sobre Taremi, o Rio Ave colocou-se em vantagem com um remate certeiro do ex-Benfica Filipe Augusto. Este foi, aliás, o único disparo durante os primeiros 15 minutos do desafio.

Os leões reagiram bem à desvantagem e a partir do primeiro quarto de hora começaram a assentar o seu jogo e a conseguir controlar as operações, altura em que Bruno Fernandes, numa boa incursão de Acunã pela esquerda, restabeleceu o empate. O capitão leonino aproveitou um mau alívio de Matheus Reis para fuzilar a baliza de vilacondense e fazer o segundo golo no campeonato, no segundo disparo da partida.

Os últimos 30 minutos da primeira parte coincidiram com a melhor fase do jogo para a formação comandada por Marcel Keizer, que criou algumas oportunidades de perigo junto da baliza defendida por Kieszek, aos 25, 29 e 45 minutos, mas Carlos Carvalhal montou bem a sua equipa, que foi sempre muito atrevida e jogou, quase sempre no campo todo com o Sporting, sem medo.

A segunda parte abriu com o golo do Sporting. Luiz Phellype, aos 53 minutos, aproveitou uma sobra de um remate de Raphinha, que embateu no croata Borevkovic, para rematar certeiro par o fundo das redes.

Com  golo do avançado brasileiro, o Sporting acabou por baixar o ritmo de jogo - de salientar uma grande jogada de Raphinha, aos 62 minutos, a oferecer o golo a Bruno Fernandes -, e passou a tentar segurar o 2-1, concedendo mais espaço ao adversário. Por outro lado, o Rio Ave manteve-se bem estruturado, com bons jogadores, e sem receio de jogar cara a cara com um 'grande'.

O Sporting tanto quis gerir o resultado - Marcel Keizer até fez entrar Borja para o lugar de Vietto, numa mudança  muito criticada pelos adeptos leoninos -, que acabou por ser traído por dois erros de palmatória de Coates, que voltou a cometer duas grandes penalidades nos minutos finais sobre o iraniano Taremi.

Aos 83 minutos, Ronan foi chamado a marcar, e o avançado brasileiro não falhou, fazendo o 2-2 ao segundo remate enquadrado da sua equipa durante os 90 minutos.

Aos 87 minutos, Acuña teve a possibilidade de devolver a vantagem ao Sporting mas o remate de cabeça acabou por terminar no poste. Na resposta, Coates voltou a borrar a pintura e fez nova falta dentro da grande área, viu cartão vermelho e permitiu a Filipe Augusto estabelecesse o resultado final da marca de grande penalidade, no terceiro remate à baliza do Rio Ave nesta partida.

A fechar, destaca-se o facto insólito de Sebastian Coates ter sido o autor dos três penáltis, por falta de velocidade, algo já de si invulgar, mas ainda por cima as infrações foram todas cometidas sobre o mesmo adversário, Mhedi Taremi.

Confira o resumo da vitória do Rio Ave em Alvalade

Momento do jogo: A terceira falta e expulsão de Coates

O Rio Ave empatou a partida já nos minutos finais, na segunda grande penalidade cometida por Coates. Minutos depois, Acuña teve na cabeça o golo que podia ter dado a vitória ao Sporting, mas a bola terminou no poste, e, na resposta, Taremi voltou a escapar à defesa leonina e foi travado em falta, pela terceira vez, por Coates que acabaria por ver cartão vermelho. Filipe Augusto bisou e o jogo ficou sentenciado.

A figura: Mehdi Taremi

Depois dos três golos marcados na última jornada ao Desportivo das Aves, o avançado iraniano ficou ligado às três grandes penalidades, todas com faltas cometidas por Sebastian Coates, que deram a vitória aos vilacondenses. A velocidade e excelente capacidade de explorar espaços foram um autêntico quebra cabeças para a defesa leonina.

Melhores:

Filipe Augusto

Excelente exibição do brasileiro. Foi o principal motor do jogo atacante do Rio Ave, gerindo o meio-campo em grande estilo e com bons passes que foram fazendo a bola circular de um lado ao outro do campo à procura da velocidade de outros companheiros de equipa. Parece ter reencontrado o bom nível de outros tempos.

Bruno Fernandes

Voltou a ser o homem-golo da equipa, com um remate fortíssimo que estabeleceu o empate no encontro. Ao seu estilo liderou a equipa, criou jogo e fez a sua equipa jogar, mas não foi capaz de segurar o ímpeto do Rio Ave nos últimos minutos. Uma equipa são 11 jogadores e não um.

Acuña

Poderia ter feito o 3-2 para a sua equipa, mas o seu cabeceamento acabou por terminar no poste. Deu tudo pela sua equipa, num compromisso total com o coletivo.

Piores

Coates

Péssima exibição do defesa-central, um dos jogadores mais experientes da equipa. Cometeu as três grandes penalidades, todas sobre o iraniano Taremi, que estiveram na origem dos três golos do Rio Ave. Má abordagem nos três lances dos penáltis e sem velocidade para segurar o avançado dos vilacondenses. Acabou também por ver um cartão vermelho.

Wendel

O brasileiro esteve em jogo? Se esteve quase não se deu por ele. Passou completamente ao lado da partida e raramente conseguiu ter influência no jogo da sua equipa.

Raphinha

Outro jogador que teve uma noite para esquecer, depois dos dois golos no encontro da última jornada com o Portimonense. Foi um autêntico desastre, quer a defender, quer a atacar. Perdeu muitos lances e os cruzamentos quase nunca saíram em condições. O único ponto positivo foi uma, aos 62 minutos, a oferecer o golo a Bruno Fernandes.

Reações:

Bruno Fernandes. "Não é normal. O que é normal é virem aqui e o Sporting ser desfavorecido"

Keizer: "Árbitro? Só tenho opinião sobre a minha equipa. Não jogámos o suficiente"

Carlos Carvalhal: "Arbitragem? Eu não vou contribuir para a festa"

Filipe Augusto: "Com a ajuda do VAR, os árbitros têm melhores condições para analisar"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.