O FC Porto goleou domingo o Nacional da Madeira por 4-0, e continua na luta pela revalidação do título de campeão nacional. O resultado da partida, relativa à 33.ª jornada da I Liga, condenou os insulares à descida de divisão na mesma época em que regressaram ao escalão mais alto do futebol português.

Com golos na primeira parte, de Alex Telles e Óliver Torres, e na segunda, de Jesús Corona e Marega, este de penálti, o FC Porto ainda acalenta esperanças de alcançar o primeiro lugar da tabela. Por seu turno, o Nacional com esta derrota, confirmou a descida à II Liga.

O Jogo: Nacional falhou a abrir, e o FC Porto não perdoou

Sérgio Conceição fez duas alterações em relação à última equipa que na semana passada goleou no Dragão o Desportivo das Aves (4-0). Brahimi (lesionado) e Herrera (castigado) saem para as entradas de Otávio e Óliver.

Do lado do Nacional da Madeira, Costinha procedeu a duas alterações nos titulares que empataram (2-2) na deslocação ao terreno do Vitória de Guimarães, trocando Rosic e Arabidze por Marakis e Júlio.

Numa partida crucial para ambas as formações, embora por razões opostas, o Nacional até entrou melhor que os campeões nacionais e, aos 12 minutos, desperdiçou a ocasião de golo mais flagrante da partida, por Brayan Riascos que, na sequência de uma má abordagem de Éder Militão, fintou Vaná e, de baliza aberta, atirou às malhas laterais.

Na resposta, o FC Porto adiantou-se no marcador através de um livre direto cobrado de forma irrepreensível por Alex Telles. A partir desse momento, os portistas ganharam mais confiança e passaram a criar muitos problemas à defesa dos madeirenses.

Aos 28 minutos, os azuis e brancos aumentaram a sua vantagem, por Óliver, que recolheu um mau passe de Alhassan - já tinha feito a falta que esteve na origem do golo Alex Telles -, ganhou metros e rematou fora do alcance de Daniel Guimarães.

O Nacional da Madeira estava decidido a reduzir a vantagem ainda no primeiro tempo e, aos 41 minutos, Brayan Riascos, numa boa iniciativa individual, rematou junto ao poste da baliza defendida por Vaná Alves.

Ainda nos primeiros 45 minutos, Moussa Marega esteve, por duas ocasiões, perto do golo: primeiro num remate, aos 44 minutos, que proporcionou uma boa intervenção a Daniel Guimarães e, depois, nos descontos, num remate cruzado que saiu junto ao poste.

O FC Porto regressou do intervalo determinado a marcar o golo que desse a tranquilidade no marcador e, aos 48 minutos, Jesús Corona surgiu em boa posição, mas disparou para fora.

As ocasiões de perigo dos campeões nacionais eram agora mais frequentes e colocavam à prova os recursos de Daniel Guimarães.Já o Nacional tentava sempre a profundidade, procurando explorar a velocidade dos seus homens mais adiantados, nomeadamente Brayan Riascos.

Aos 59 minutos, Corona sentenciou em definitivo, se dúvidas ainda havia, a partida, correspondendo forma acrobática a uma solicitação de Marega, que, pouco depois, surgiu isolado, mas não acertou no alvo.

O Nacional ainda tentou reduzir e, aos 85 minutos, Bryan Rochez rodou no interior da área, mas o remate saiu ao lado. Contudo, foi o FC Porto a chegar novamente ao golo, na conversão de uma grande penalidade, por Marega quando o cronómetro marcava o minuto 88.

Momento do jogo: Golo de Jesús Corona

O golo de Jesús Corona, apontado poucos minutos depois do começo do segundo tempo, dissipou as poucas dúvidas, se é que ainda existiam, que subsistiam quanto à possibilidade de o Nacional voltar a entrar na discussão do resultado. A finalização acrobática do mexicano acabou com o jogo.

Melhores

Óliver Torres - Aposta acertada de Sérgio Conceição. O médio espanhol tem sido utilizado menos vezes pelo treinador portista, mas não deixou de demonstar em campo a qualidade que tem. Bem no capítulo das recuperações e dos desarmes, Óliver foi o organizador do ataque da sua equipa. Viu a sua exibição ser premiada com um golo.

Alex Telles - Belo golo do internacional brasileiro na cobrança de um livre direto que abriu a contagem para a goleada na Madeira. Sempre bem posicionado e rápido, foi bastante assertivo nos capítulos defensivo e ofensivo, com cruzamos sempre perigosos, sobretudo de bola parada.

Otávio - Exibição muito positiva de Otávio. Muito interventivo, tanto a defender como a atacar, o médio brasileiro combinou bem com os colegas e criou as primeiras grandes oportunidades do FC Porto no jogo.

Corona - Foi uma das principais figuras dos azuis e brancos. Serviu Óliver Torres para o golo do médio espanhol e depois assinou o terceiro que acabou por sentenciar a partida.

Piores

Alhassan - Tarde para esquecer do jogador insular. Fez a falta que originou o golo de Alex Telles, perdeu a bola que está na origem do segundo, e por fim cometeu a falta que resultou na grande penalidade que fechou a goleada.

Reações:

Conceição: "Título? Queremos ganhar o Clássico. Depois veremos o que acontece"

Costinha: "Há muita gente interessada, mas o meu futuro só diz respeito a mim"

Marakis: "Despromoção? Ao longo da época, cometemos erros que custaram caro"

Óliver: "Rio Ave-Benfica? Esperamos que seja um bom resultado para nós"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.