André Geraldes falou esta segunda-feira sobre o processo 'Cashball' para deixar a garantia de que está de 'consciência tranquila' e que espera que 'seja feita justiça'.

Em entrevista exclusiva à CMTV, o antigo team manager do Sporting foi questionado diretamente se alguma vez tinha praticado algum ato de corrupção para beneficiar o clube leonino.

"Quanto à pergunta, obviamente que não. Claro que nunca dei dinheiro a ninguém [para corromper]. Nem apareço nas supostas ou alegadas escutas", começou por dizer André Geraldes

"[O processo Cashball] está em segredo de justiça, pode haver acusação, arquivamento ou suspensão do processo. Estou de consciência tranquila. Que seja feita justiça", sentenciou André Geraldes sobre o assunto.

Em relação a uma alegada mensagem de WhatsApp que fará parte do processo e na qual André Geraldes é associado a atos de corrupção em jogos de andebol, o ex-dirigente do Sporting foi confrontado com o teor da mensagem e foi peremptório: "Quem a mostrou tem de provar que saiu do meu telemóvel. Eu nunca a escrevi. É falsa. É um 'printscreen', em cinco segundos posso inventar um printscreen do seu telemóvel. O Ministério Público tem de provar que esta mensagem saiu do meu equipamento. Nem vi bem o conteúdo. É a primeira vez que estou a ver com olhos de ver. Eu nem era responsável do andebol, era do futebol. Nem sequer há indícios de que eu tinha alguma ligação ao andebol", sentenciou André Geraldes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.