Segundo avança o jornal 'Record', André Geraldes, antigo team manager do Sporting, entregou a rescisão unilateral ao clube na passada segunda-feira, dia 6 de agosto. A rescisão unilateral do contrato não inclui nenhuma indemnização para Geraldes.

O nome de André Geraldes esteve envolvido no caso 'Cashball' e, desde essa altura, o team manager do Sporting estava suspenso de funções. No entanto, o mesmo jornal garante que, apesar da polémica em que esteve envolvido, Geraldes recebeu propostas de trabalho de vários clubes.

André Geraldes confirmou a rescisão mas deixou para mais tarde a justificação pública sobre o caso. No entanto, esclareceu que "pretende manter uma postura de respeito em relação ao clube, sendo que esta decisão é única e exclusivamente da sua responsabilidade", segundo o 'Record'.

Antes de ser team manager, André Geraldes foi oficial de ligação aos adeptos, ou seja, era a pessoa responsável pela coordenação das claques e quem fazia a ponte entre as mesmas e a direção. Essa relação com as claques permitiria montar um esquema para manter um 'saco azul', através da venda de bilhetes, que depois  servia para pagar os subornos no andebol e no futebol.

O team manager do Sporting foi detido no passado mês de maio e acusado de 18 crimes de corrupção ativa no desporto (10 no andebol e 8 no futebol), mas acabou por sair em liberdade depois de pagar uma caução de 60 mil euros.

Além de Geraldes, o caso 'Cashball' tem mais três arguidos: o empresário Paulo Silva, João Gonçalves (intermediário entre Paulo Silva e André Geraldes) e Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting e ex-braço-direito de André Geraldes no departamento de apoio aos atletas leoninos).

O caso começou a ser investigado depois de Paulo Silva ter confessado a participação num esquema de corrupção, no qual subornava árbitros para favorecer o Sporting no campeonato nacional de andebol de 2016/17, no qual os 'leões' se sagraram campeões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.