Em entrevista à 'Rádio Renascença', Marco Ferreira e Veiga Trigo falaram das fugas de informação que levaram à revelação das equipas de arbitragem dos jogos Nacional-Sporting, Feirense-SC Braga e FC Porto-Santa Clara este fim-de-semana.

"Se a transparência é o lema deste Conselho de Arbitragem, não faz sentido esconder as nomeações. Deveriam ser públicas como antigamente, logo no início da semana", começou por dizer Marco Ferreira, acrescentando que "importa também mudar a mentalidade da nossa sociedade desportiva. É preciso haver aumento dos castigos, como acontece em Inglaterra, para ser punido severamente quem fale dos árbitros antes e depois dos jogos. Neste caso, sendo as nomeações divulgadas antecipadamente como no passado acontecia, seria um sinal de transparência. Esconder a informação não resolve o problema da arbitragem portuguesa".

Marco Ferreira lembrou ainda que "antigamente eram divulgadas publicamente as nomeações à terça-feira, e não era por essa razão que a arbitragem era melhor ou pior. A atitude que o Conselho de Arbitragem teve em esconder as nomeações foi num momento de grande tensão na arbitragem mas não resolveu".

Já Veiga Trigo referiu que "este caso surgiu à tona pela incompetência do Conselho de Arbitragem da FPF. Não tem pessoas à altura para dirigir a arbitragem portuguesa", atirando mesmo que o Conselho de Arbitragem "deveria ser destituído".

"Para acabar com esta polémica, há muito tempo que as nomeações deveriam ser feitas logo à segunda ou terça-feira. A divulgação imediata resolveria o problema avisando os árbitros para não frequentarem certos e determinados sítios e não aceitassem chamadas telefónicas de números desconhecidos", concluiu o antigo árbitro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.