O presidente do Sporting de Braga, António Salvador, disse hoje que só vendeu o futebolista internacional português Dyego Sousa para os chineses do Shenzhen "porque o treinador ainda era o Abel Ferreira".

Questionado porque é que o ponta-de-lança saiu por uma verba abaixo dos valores que apareceram no mercado de inverno, o líder dos minhotos frisou que "nunca houve proposta por Dyego Sousa no mercado de inverno, oficial, e o que houve foi conversa de comunicação social".

"O Dyego foi vendido mediante a proposta que apareceu. E foi vendido porque o treinador ainda era o Abel Ferreira. E ele, numa conversa que tivemos no final de época, disse-me que Dyego teria de sair para continuar no Sporting de Braga. Antes que tivéssemos de ir para estágio e pagar para Dyego sair, aproveitei a única proposta para vendê-lo. Todos sabemos que não era um jogador fundamental para Abel Ferreira", afirmou durante o ‘dia do Sporting de Braga’, que decorre no centro da cidade.

António Salvador voltou a frisar que o primeiro objetivo da época é entrar na fase de grupos na Liga Europa, no campeonato "ficar no ‘top-4’ e continuar a tradição nas taças" da Liga e de Portugal, tendo lembrado que a fase final da Taça da Liga realiza-se novamente em "casa".

O dirigente não quis avaliar se o plantel é mais forte do que na época passada, considerando que "a equipa é a mesma”: “O único que saiu foi um avançado e reforçou-se com o André Horta, um jogador que todos conhecem e que queria regressar. O Hassan entrou, fez uma grande época e marcou 15 golos no Olympiacos só na segunda volta".

Sobre a eventual necessidade de contratar mais um avançado, António Salvador notou que, até ao fim do mercado, em 31 de agosto, "tudo pode acontecer".

"O Sá Pinto está a trabalhar, a conhecer os jogadores e temos que ver. Jogávamos com dois avançados, agora devemos jogar com um, e temos três [Hassan, Stojiljkovic e Paulinho]. Vamos ver e até 31 de agosto tudo pode acontecer. Porém, estamos satisfeitos e queremos um plantel curto, com 22/23 jogadores de campo, para abrir espaço a outros jogadores [da formação]", disse.

Salvador afirmou ainda que tem "acompanhado de perto a equipa" e diz sentir "um compromisso muito grande de todos os jogadores".

"Não podemos facilitar, até porque o sorteio podia ter sido mais favorável. Mas foi o que nos calhou e temos de nos focar no dia oito, porque queremos entrar na Liga Europa", disse.

António Salvador mostrou ainda "satisfação enorme pelo dia de hoje".

"Este evento é um marco histórico, o único clube em Portugal a fazer este tipo de atividades, com todas as modalidades. Viemos ao encontro dos adeptos e é isso que queremos: a aproximar o clube da cidade e vice-versa. É um dia de festa, é muito bom ver este espírito guerreiro", afirmou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.