O presidente António Salvador ainda acredita que o Sporting de Braga pode chegar ao terceiro lugar da I Liga portuguesa de futebol, mesmo tendo desperdiçado a oportunidade de depender de si próprio para o conseguir.

Os minhotos empataram em casa, com o Belenenses SAD, na quarta-feira (1-1), desperdiçando a possibilidade de aproveitar o deslize do Sporting, horas mais tarde, no Estádio do Dragão, diante do FC Porto, que venceu por 2-0 e assegurou a conquista do título nacional.

Se tivessem vencido o jogo da 32.ª jornada, teriam agora os mesmos pontos dos ‘leões', mas vantagem no confronto direto e, por isso, apenas dependiam de si próprios para terminar o campeonato no pódio.

"Isto vai ser até ao fim, o importante é vencer o próximo jogo. Todos nós gostaríamos de conseguir alcançar esse objetivo. Digo claramente que acredito nisso, apesar de não depender só de nós, mas se fizermos o nosso trabalho poderemos alcançar esse lugar", afirmou o presidente dos bracarenses, à margem de uma visita às futuras instalações previstas na segunda fase da cidade desportiva.

Nas duas últimas jornadas, o Sporting de Braga visita o 'aflito' Tondela e recebe o já campeão nacional FC Porto.

António Salvador frisou o "ano muito difícil", que "só um grande clube e com uma grande organização como o Sporting de Braga consegue ultrapassar".

"O Braga já teve cinco treinadores este ano, infelizmente, não porque quiséssemos ter os cinco, mas coincidências que aconteceram e que o Braga nada podia fazer [para as contrariar]. Mas estamos na luta, mesmo com todos esses problemas", disse.

O líder ‘arsenalista' não quis dizer se o treinador Artur Jorge pode continuar na próxima temporada e, questionado sobre se David Carmo pode representar o próximo grande encaixe financeiro, notou que, "para ser um clube rigoroso e sustentável", o Sporting de Braga tem que vender todos os anos.

"Formar e vender", frisou, "como a grande maioria dos clubes pela Europa fora".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.