O Benfica recebeu e venceu esta terça-feira o V.Guimarães por 2-0. Chiquinho e Seferovic, um em cada parte, assinaram os golos que permitiram às 'águias' manterem-se, matematicamente, na luta por um título que, contudo, poderá ficar decidido já amanhã, caso o FC Porto não perca na receção ao Sporting.

Por seu lado, o V.Guimarães, que até criou as melhores situações de golo na primeira parte, enviando uma bola aos ferros e vendo Vlachodimos negar-lhe por duas vezes o golo, diz praticamente adeus ao sonho europeu.

Veríssimo mexe pouco e Benfica entra 'por cima'

Nélson Veríssimo apostou praticamente no mesmo 'onze' que, na jornada passada, tinha empatado a uma bola em Famalicão, tendo a única novidade residido na frente de ataque, com uma troca de pontas-de-lança: o brasileiro Carlos Vinícius alinhou de início, Seferovic foi relegado para o banco de suplentes.

Acabou, contudo, por ser o outro homem da frente das 'águias', Chiquinho, a desperdiçar o primeiro lance de perigo do encontro, à passagem do minuto 7, ao atirar por cima depois de Douglas desviar para a frente um cruzamento vindo da direita.

O V.Guimarães, por seu lado, vindo de uma derrota caseira ditada por dois golos sofridos nos descontos na ronda anterior, pareceu entrar algo desligado do jogo, com muitos passes falhados ainda na sua zona defensiva. Ainda assim, deixou um aviso num remate de longe de Poha, aos 11 minutos, que levou a bola a sair por cima da baliza à guarda de Vlachodimos.

Vitória cresce, mas ferros e Vlachodimos travam visitantes

Aos poucos, porém, o conjunto forasteiro começou a encontrar-se e a crescer no jogo, com o criativo e sempre muito irrequieto Marcus Edwards a começar a aparecer no jogo. E, num desses lances à sua imagem, depois de furar por entre vários jogadores, o 'camisola 23' do V.Guimarães entrou na grande área do Benfica e rematou forte e em jeito. O disparo parecia levar selo de golo, mas caprichosamente a bola bateu na trave da baliza de Vlachodimos, resvalou para o poste e não entrou.

Também não entrou pouco depois, por duas vezes, mas aí em ambas por mérito de Vlachodimos. Com a defesa do Benfica a cometer demasiados erros, primeiro foi Bruno Duarte, num remate acrobático já na pequena área, a ver o guarda-redes grego negar-lhe o golo com uma fantástica defesa com o pé esquerdo. Depois, no seguimento de um livre, foi Agu a ficar na cara do guardião da casa, com tudo para marcar, mas sem sucesso, face a nova grande intervenção de Vlachodimos.

Quem não marca, sofre

O Vitória mandava no jogo, ia criando perigo, mas acabou por ser o Benfica a ir para o intervalo em vantagem. Já depois de Nélson Veríssimo ter substituído o 'amarelado' Weigl por Florentino, e no seguimento de um lance de insistência dos 'encarnados' após hesitação da defesa vimaranense, as 'águias' chegaram ao golo, contra a corrente do jogo.

Cervi tocou para Nuno Tavares na esquerda, este curzou na direção de Vinícius, que não conseguiu dominar o esférico, mas a bola acabou por sobrar para Chiquinho que, de primeira, rematou cruzado para o 1-0. O V.Guimarães acusou o golo e, pouco depois, num remate forte e rasteiro, ainda de fora da área, Vinícius ficou muito perto de fazer o segundo do Benfica, em cima do intervalo.

Segunda parte arranca em ritmo mais lento

Os segundos 45 minutos arrancaram com um ritmo mais pausado, e com o V.Guimarães a mostrar mais dificuldades em encontrar espaços entre a defesa do Benfica do que aquilo que havia sucedido até ao golo 'encarnado'. Os homens da casa iam controlando as operações ainda que também sem conseguirem criar real perigo que fizesse adivinhar novo golo na baliza de Douglas.

Os treinadores começaram, então, a mexer dos bancos. Ivo Vieira lançou Pedro Henrique para o lugar de Suliman, enquanto Nélson Veríssimo refrescou a frente de ataque com as entradas de Rafa e Seferovic para os lugares de Pizzi e Vinícius. Mas as ocasiões de real perigo continuavam a escassear junto das duas balizas.

'Forcing' final do Vitória, mas é o Benfica que volta a marcar...

O V.Guimarães partiu, então, para um derradeiro assalto à grande área do Benfica no quarto de hora final. André André deixou um aviso num remate desviado por um adversário que passou ligeiramente ao lado da baliza à guarda de Vlachodimos. Logo depois, Venâncio cabeceou ligeiramente por cima.

Marcus Edwards também voltou a 'despertar' e a sua velocidade começou a causar inúmeras dificuldades ao flanco esquerdo do Benfica. Faltava, contudo, uma melhor definição dos lances para que o Benfica se sentisse verdadeiramente ameaçado.

E, com os vitorianos balanceados para a frente em busca do empate, foi o Benfica que quase marcou. Seferovic, com um grande gesto técnico, dominou na perfeição e, a meio do meio campo contrário, viu o adiantamento de Douglas na baliza do V.Guimarães. Tentou o chapéu e a bola levava a direção certa, mas o guarda-redes forasteiro respondeu com uma grande defesa.

Mas o suíço viria mesmo a marcar e a acabar com a decisão do resultado. Contra-ataque rápido, Rafa cruzou, e Seferovic antecipou-se a Venâncio para atirar de pé direito para o 2-0 final.

A vitória coloca a o Benfica a cinco pontos do líder FC Porto, mas um empate dos 'dragões' esta quarta-feira, na receção ao Sporting, será suficiente para, com duas jornadas por disputar, selar a conquista do título por parte  dos 'azuis e brancos', uma vez que têm vantagem no confronto direto com o rival 'encarnado'. Já o V.Guimarães mantém o sétimo lugar, a seis pontos do quinto posto, ocupado pelo Famalicão, e muito dificilmente atingirá esse último lugar europeu.

VEJA O RESUMO DO ENCONTRO

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.