O médio português do Manchester City admitiu esta segunda-feira que Chalana foi uma das peças fundamentais para não ter desistido do futebol.

"Infelizmente, por só ter cinco anos, não o puder ver a jogar ao vivo. Portanto, não assisti, mas ouvi histórias do meu pai e do meu avô. Mas o que conheço melhor é como pessoa. A minha convivência com ele, as memórias que partilhámos, a influência que teve na minha vida foi gigante e ele sabe disso", começou por dizer Bernardo Silva na apresentação do livro sobre Chalana.

"Numa das minhas piores fases, aos 16 anos, quando tinha o sonho de chegar aqui, naquela altura não jogava tanto, duvidava de tudo e o Chalana, nosso adjunto, fez-me acreditar que era possível quando eu já não acreditava. Em estágios, era ele a bater a porta, a dizer que eu ia ser um grande jogador, que tinha a certeza que eu ia ter grande sucesso, que acreditava em mim. Por toda a força que me passou, foi um dos grandes culpados pelo sucesso que tenho tido. Não gosto muito de ler, mas este vou ler de certeza", terminou Bernardo Silva.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.