"Nada está garantido, temos de mostrar muito ainda, mas a nossa posição favorece-nos. Dá até para pensar noutros objectivos", disse à Agência Lusa Bruno.

Contratado à equipa B do Internacional de Porto Alegre, do Brasil, Bruno, 21 anos recentes, estreou-se pelos "castores" na vitória em Guimarães (2-1) e repetiu a titularidade no empate em casa frente ao Sporting (0-0).

"Estava um bocado ansioso em Guimarães, mas isso durou até ao primeiro toque na bola. Também nunca tinha jogado frente a equipas 'grandes', como o Sporting, o que dá confiança a qualquer jogador, embora tenha consciência de que tenho ainda muito a melhorar e para dar", sublinhou.

O número 30 da formação nortenha, que aprecia e se revê na "visão de jogo" e "inteligência" do compatriota Diego (ex-portista) e do argentino Riquelme, define como desafio imediato ganhar espaço na formação pacense e permanecer no clube, "forçando" os seus dirigentes a exercerem o direito de opção.

"Tenho contrato até ao final da temporada, mas quero continuar no Paços de Ferreira, que tem direito de opção sobre mim, mas o futebol sempre foi o meu objectivo de vida. Sempre quis chegar a profissional e jogar numa grande equipa, num "grande", sem esquecer a selecção. Mas um passo de cada vez", disse à Lusa.

Bruno define-se como um "10", capaz de "distribuir jogo pelos companheiros e também de aparecer para finalizar", algo que ainda não aconteceu no Paços de Ferreira.

O futebolista não mostra ansiedade, garantindo: "Realmente, está a faltar o golo. Mas, sem ansiedade. Uma coisa de cada vez, na certeza de que o primeiro golo será dedicado à minha mãe".

Natural de Minas Gerais, o jogador saiu de casa aos 11 anos, para jogar futebol no Grémio de Porto Alegre, a cerca de 1600 quilómetros de distância, equipa que defrontou um ano antes em representação de um clube da cidade.

"Eu jogava numa equipa da cidade, em Minas Gerais, e um dia defrontámos o Grémio de Porto Alegre. Eles mostraram interesse, mas a minha mãe só me deixou sair um ano depois, aos 11. Valeu a pena, pois é preciso corrermos atrás daquilo que queremos", disse Bruno, que representou ainda o rival Internacional (Porto Alegre).

Dessa aventura nos "grandes" de Porto Alegre, ficou a amizade com Anderson, ex-portista e actualmente no Manchester United, de Inglaterra, de quem foi colega ainda criança no Grémio, e o "benfiquista" Sidnei, que encontrou mais vezes como adversário. Foi deles que Bruno ouviu as referências sobre o campeonato luso.

"Em Junho, no início das férias deles, encontramo-nos em Porto Alegre e falaram muito bem de Portugal", confirmou Bruno, garantindo ainda conhecer o Paços de Ferreira pela presença na final da Taça de Portugal e as "boas informações".

"Pesou muito na minha decisão saber que é um clube de pessoas honestas", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.