Depois do empate (0-0) com o Vitória de Guimarães para a Taça da Liga, o Benfica volta a centrar atenções no campeonato, com a receção ao Vitória de Setúbal, este sábado, a contar para a sétima jornada. Na antevisão à partida, Bruno Lage foi questionado sobre o gesto em que alegadamente pedia calma aos adeptos, no final da partida com os vimaranenses.

"Às vezes estamos tão confortáveis a viver o jogo que nem me apercebi da reação do público nem do gesto. Depois é que vi, e vi a importância que, através da comunicação social, se deu. Temos de pensar na exigência que temos que ter enquanto clube, e o adepto do Benfica é de uma exigência tremenda porque o clube assim o habituou, em particular esta equipa, por aquilo que fez nos últimos seis meses. As exibições, o facto de ter atingido 103 golos, o início de época, a vencer a Supertaça como vencemos, leva-nos a essa exigência. Por outro lado, o que sinto enquanto treinador é que quem não nos quer o sucesso tem tentado apontar tudo de mau que nos tem acontecido", começou por dizer o técnico dos 'encarnados' em conferência de imprensa.

"Numa das entrevistas que dei no lançamento da Supertaça, perguntaram-me sobre a perda de João Félix e como ia resolver o problema. Respondemos. Depois foi, quando perdesse, se ia mudar a maneira de ser. Até interrompi a entrevista e disse 'Ouça, acabámos de fazer uma época fantástica e as primeira perguntas é sobre se perdermos?'. Não estamos aqui a tentar esconder o que quer que seja. É apenas levar a linha de raciocínio do negativismo que se vai tentando criar para que o nosso adepto, na hora do desconforto, seja menos paciente. Nunca há uma tentativa de dar valor ao que é feito. Estamos a jogar em contra um adversário difícil como o de amanhã, compactos e equilibrados. Se queremos atrair o adversário, com esse negativismo que vai acontecendo, os adeptos vão-se tornando impacientes e os jogadores vão tendo alguma ansiedade em resolver o problema", acrescentou.

Nesse sentido, Bruno Lage lembrou que este é o momento de colocar em prática o lema do Benfica.

"Temos apenas que dar continuidade ao que acreditamos, dando oportunidades a jogadores menos rodados e a jovens de imenso valor. Este é aquele momento em que faz mais sentido olhar para o lema do Benfica: de todos um. Se a equipa precisou dos adeptos quando perdíamos 0-2 com o Rio Ave e o Benfica do povo estava lá para nos ajudar, todos juntos seremos mais fortes. Esta equipa irá dar muitas alegrias aos adeptos", vincou.

Sobre o jogo com o Vitória de Setúbal, Bruno Lage destacou a organização defensiva da equipa orientada por Sandro Mandes.

"Espero um Vitória extremamente organizado. É uma equipa que não tem um registo de golos acentuado, mas tem uma organização defensiva muito forte. É uma equipa que não sofre muitos golos, que vai entrar em campo a retardar ao máximo o nosso golo, e com a intenção de criar perigo pelos três homens da frente. Os três têm enorme capacidade individual, são rápidos e podem marcar golos. Foi isso que preparámos", salientou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.