A Polícia Espanhola esteve na residência de Rúben Semedo esta terça-feira a fazer buscas, na sequência da detenção do defesa português do Villarreal. De acordo com o jornal 'Las Provincias', as autoridades espanholas encontraram uma pistola, que terá sido usado num sequestro, roubo e agressão a 11 de fevereiro.

Mas o empresário do defesa português afirma que a arma encontrada não pertence a Rúben Semedo.

"A arma que a polícia encontrou em casa não é dele. O Rúben foi envolvido numa burla e está consciente de que amanhã [em tribunal] tudo será devidamente explicado e a polícia vai dizer de quem é a arma. A vítima foi o Rúben. Eu e o advogado Bebiano Gomes, assim como os advogados espanhóis que estão também a tratar do caso, já falámos com o Villarreal e temos um objetivo comum: tentar perceber o que realmente se passou e fazer com que amanhã seja tudo explicado para que a imagem do Rúben não seja prejudicada, disse Catió Baldé em declarações à edição online do jornal Record.

O empresário já tinha defendido a tese de burla, em declarações à TSF.

"O Rúben [Semedo] foi vítima de uma burla. Aquilo que poderá ter acontecido, na atitude do Rúben, é ter reagido fora do âmbito da lei, daquilo que é legal, se é que aconteceu, mas porque foi vítima de burla", disse Catió Baldé à rádio TSF.

O futebolista do Villarreal foi detido na segunda-feira pela Guardia Civil por agressão, roubo e posse ilegal de arma, noticiou a agência EFE, citando fontes da investigação.

Segundo o jornal Las Provincias, em causa está uma queixa apresentada em 12 de fevereiro contra Ruben Semedo e outros dois homens, um dos quais seu primo. O denunciante acusou os três homens de lhe terem entrado em casa para roubar dinheiro, de terem disparado para o intimidarem, e de o terem agredido.

A vítima identificou Rúben Semedo e um primo deste como duas das três pessoas que o atacaram e agrediram tendo provocado lesões várias no seu corpo que o obrigam a usar muletas para se deslocar.

O queixoso também declarou que um dos agressores disparou duas vezes com uma pistola para o intimidar, sem que estes o tenham atingido.

Este não é o primeiro caso policial de Ruben Semedo, que vai ser julgado em Espanha devido a alegando envolvimento em incidente com pistola nas imediações de um bar de alterne em Valência, em novembro de 2017.

O Villarreal, sexto classificado da Liga espanhola, assegura que tomará “todas as medidas disciplinares” que considerar adequadas tendo em conta a “gravidade dos factos”.

Os casos de polícia a envolver Rúben Semedo

7 de novembro de 2013 – Ainda no Sporting, foi apanhado, com 19 anos, a conduzir sem carta durante a madrugada e detido pela PSP. O clube castigou-o com a ‘despromoção’ à equipa B.

29 de outubro de 2017 – À saída de uma discoteca, já de madrugada, agrediu um jovem atirando-lhe uma garrafa de vidro à cabeça, depois de discutir com o próprio.

19 de novembro de 2017 – Alegadamente, terá apontado uma pistola ao dono de um bar que lhe pediu para abandonar o local, mas o central ter-se-á recusado a fazê-lo.

12 de fevereiro de 2018 – Com ajuda de outra pessoa, terá amarrado, agredido e retido na sua casa um refém. Tiraram a chave de casa e terão invadido o local para roubar

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.