"Representar a selecção brasileira é algo que qualquer jogador deseja. Trabalho todos os dias para representar o meu clube e, se a oportunidade de vestir a camisola do meu país surgir, vou agarrá-la com toda a força. Mas, sendo um sonho, não é uma obsessão!", disse o central em declarações ao “site” da Federação Internacional de Futebol (fifa.com).

O jogador adiantou que os responsáveis da "canarinha" "estão atentos ao trabalho de muitos jogadores que jogam fora do Brasil", mas reconheceu que "há muitos e bons jogadores para dar o seu contributo à selecção".

David Luiz disse ainda que esta época a prioridade é lutar pela conquista de três competições em que o Benfica está envolvido: Liga portuguesa, Taça da Liga e Liga Europa.

"Temos de fazer o máximo por conquistar esses três objectivos. Se vai ser difícil conquistar os três? Seguramente que sim, mas temos o dever de dar o nosso melhor. Se tivesse de escolher apenas um, centrava-me na conquista do campeonato. Acho que é uma alegria que estamos a dever aos nossos adeptos", adiantou.

Para David Luiz, 22 anos e desde os 19 em Portugal, não é difícil explicar as vitórias do Benfica esta época.

"Não há muitos segredos, apenas temos que respeitar o público e a instituição que representamos para merecer vestir a camisola do Benfica. A idade representa pouco. Podemos ser jovens aos 34 e maduros aos 20. Na minha idade, julgo que cheguei a um bom compromisso. Amadureci muito desde que cheguei à Europa, gosto do que faço e tenho um tremendo respeito pelos sócios e adeptos que nos apoiam a cada fim-de-semana no estádio", revelou.

E concluiu: "Um jogador tem de saber que os adeptos devem 'cobrar' e que tem de dar tudo o que está ao seu alcance. Sempre. A partir daí, então, podemos falar das capacidades individuais. Sou central, é nesse posto que me sinto mais à vontade, mas se for necessário jogo na baliza ou a avançado! Tenho de dar graças de ter o privilégio de fazer aquilo que amo".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.