A equipa comandada por Jesualdo Ferreira começou este clássico com vontade de marcar golos e a primeira oportunidade surgiu logo ao primeiro minuto, depois de um grande arranque e cruzamento de Hulk mas Falcao rematou fraco para a baliza.

O colombiano não voltou a desperdiçar a oportunidade no minuto seguinte, depois de um livre indirecto marcado por Belluschi, Falcao cabeceia forte para dentro da baliza de Rui Patrício.

O Sporting teve uma excelente oportunidade, ao minuto 20, quando Matías Fernández, depois de uma jogada individual, remata forte para grande defesa de Helton.

Desde o começo da partida que os "leões" mostravam falhas na defesa mas nos últimos instantes da primeira parte tiveram duas grandes oportunidades de golo. Ao minuto 32, depois de um pontapé de canto marcado por Miguel Veloso, Daniel Carriço cabeceia mas a bola bate na trave da baliza de Helton.

Na segunda parte, aos 51 minutos, Polga derruba Hulk na grande área e é assinalada grande penalidade a favor do FC Porto. Anderson Polga vê assim o segundo cartão amarelo e é expulso do jogo.

O goleador Falcao é chamado a marcar o pénalti mas Rui Patrício não permite que o colombiano marque o seu sexto golo na primeira Liga.

O Sporting, apesar de se mostrar um pouco desorientado na organização táctica ofensiva e a jogar com dez elementos, realizou uma segunda parte com mais qualidade comparativamente com o que fez nos primeiros quarenta e cinco minutos.

O clássico também ficou marcado pela grande quantidade de cartões amarelos mostrados pelo árbitro Duarte Gomes. Além de Polga, também Miguel Veloso foi expulso ao ver o segundo amarelo depois de uma falta sobre Fucile.

O golo de Falcao garante os três valiosos pontos no campeonato nacional e o FC Porto retoma a Liga dos Campões, na quarta-feira, frente ao Atlético de Madrid, no Estádio do Dragão, com mais segurança após duas derrotas, uma na Champions contra o Chlesea e outra na Liga frente ao Braga. 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.