A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários levantou a suspensão das negociações de ações da Benfica SAD, suspensas desde terça-feira, quando foi divulgado que o presidente do clube e a SAD tinham sido constituídos arguidos por fraude fiscal.

Na nota hoje divulgada no ‘site’, a CMVM explica que decidiu levantar a "suspensão da negociação das ações Sport Lisboa e Benfica - Futebol SAD e outros instrumentos relacionados, na sequência da divulgação de informação relevante".

Na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República confirmou a constituição de três arguidos, uma pessoa singular e duas coletivas, por fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, que envolve o Benfica.

Também a SAD encarnada comunicou no mesmo dia à CMVM que o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o administrador Domingos Soares de Oliveira tinham sido constituídos arguidos "pela alegada prática de um crime de fraude fiscal qualificada".

Segundo a nota enviada à CMVM, Vieira e Soares de Oliveira foram constituídos arguidos enquanto representantes legais da Benfica SAD e da Benfica Estádio, num processo integrado na operação ‘saco azul', em que as sociedades obtiveram, "nos anos 2016 e 2017, uma vantagem patrimonial indevida".

A esta ação "está associada uma possível contingência fiscal calculada pela Autoridade Tributária no valor total aproximado" de 600 mil euros.

Contactada pela Lusa, fonte oficial dos ‘encarnados' disse na terça-feira que os advogados do Benfica apresentaram um requerimento a fim de saberem se o processo está em segredo de justiça, ressalvando que em causa estava um processo de crime fiscal, que nada tem que ver com questões desportivas ou ‘sacos azuis'.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.