Declarações de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, à Sport TV, após o triunfo por 3-0 frente ao Marítimo, no Estádio do Dragão, da 26.ª jornada da Primeira Liga.

"O jogo não foi fácil. Normalmente as equipas que ficam em inferioridade numérica juntam-se mais, a equipa fica mais solidária, ficam praticamente com nove jogadores na zona da grande área, mais o guarda-redes. Nós fomos algo previsíveis na primeira parte, chegámos facilmente ao corredor lateral, mas cruzámos demasiadas bolas. Faltou-nos mobilidade."

"Na segunda parte optei por fazer algumas mudanças na dinâmica ofensiva, dei mais largura através do Manafá, mantendo o Alex Telles do outro lado, tive muita gente por dentro e o jogo ficou mais agradável, acabando a equipa por chegar aos golos. Foi uma boa vitória e todas as vitórias são importantes."

"Não é que não me importe com os resultado dos rivais, mas isso não tem de ser a nossa vitamina. Não temos de ficar mais ou menos felizes em função do resultado dos adversários e isso não interfere no nosso trabalho diário. Temos de fazer o nosso caminho e se conseguirmos ganhar estas finais que faltam podemos estar perto de ganhar o campeonato. Não adianta pensar nos outros, temos é de ganhar os nossos jogos."

"Em igualdade pontual não somos os campeões e quanto a isso não há nada a fazer. Temos jogos difíceis até ao final. Vamos defrontar Braga e Sporting, que lutam pelo título, vamos defrontar outras que lutam pelo quinto lugar, outras que lutam pela salvação, por ficar na I Liga... Vão ser todos difíceis, mas se conseguirmos ganhar jogo a jogo, podemos chegar ao fim e estar felizes".

Análise ao jogo: "Normalmente as equipas em inferioridade numérica juntam-se mais, ficam com praticamente nove jogadores mais o guarda-redes à frente da grande área. Às vezes tende-se a facilitar porque se pensa que as coisas vão acabar por acontecer. Nós fomos algo previsíveis na primeira parte. Os cruzamentos para a área foram previsíveis. Faltava velocidade na circulação, faltava mobilidade. Tivemos três ou quatro ocasiões e podíamos ter ido para o intervalo a ganhar. Optei por fazer algumas modificações no segundo tempo no que diz respeito à dinâmica ofensiva e à construção. Dei mais largura com o Manafá de um lado e o Alex do outro, tendo também muita gente por dentro. Conseguimos chegar aos golos e criamos outras ocasiões. A nossa obrigação era ganhar e conseguimos".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.