A equipa de futebol do Sporting voltou hoje a trabalhar na Academia de Alcochete, num treino dedicado à componente física, depois de quase dois meses sem jogar devido à pandemia da COVID-19.

No segundo dia de trabalho em conjunto, com o plantel dividido em grupos e com trabalho setorizado, “o aspeto físico foi intensificado, com os jogadores a serem obrigados a cumprir diversas estações de treino com e sem bola”.

Na sessão, a segunda desde o regresso em conjunto, o treinador Rúben Amorim continuou sem contar com o avançado Luiz Phellype, o único indisponível devido a lesão, enquanto o guarda-redes Renan Ribeiro fez trabalho específico com o técnico Tiago Ferreira.

Os ‘leões’ assinalam que as recomendações das autoridades de saúde foram escrupulosamente cumpridas, sem registo de casos de infeção pelo novo coronavírus em todos os que marcaram presença na ala profissional da academia em Alcochete.

Os futebolistas folgam na quarta-feira, depois de dois dias de carga intensa e de modo a prevenirem lesões, estando o próximo treino agendado para quinta-feira, às 10:30.

Na I Liga, o Sporting segue em quarto lugar, a dez jornadas do final, com 42 pontos, a 18 do líder FC Porto (60 pontos), e ainda atrás de Benfica (59) e Sporting de Braga (46,) antigo clube de Rúben Amorim.

O ex-futebolista e atual treinador assinou pelo Sporting no início de março, disputando apenas um jogo, na vitória 'leonina' em casa diante do Desportivo das Aves (2-0).

Portugal juntou-se a Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália entre os países que ensaiam o regresso dos campeonatos nacionais de futebol, ao contrário do ocorrido em França e nos Países Baixos, que cancelaram as competições.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.074 pessoas das 25.702 confirmadas como infetadas e há 1.743 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.