A SAD do Benfica vai contestar a decisão judicial que condenou a SAD do FC Porto e Francisco J. Marques ao pagamento de uma indemnização de dois milhões de euros, pela divulgação dos e-mails do clube da Luz, e recorrer para tribunal superior.

Segundo escreve esta terça-feira o jornal Correio da Manhã, os encarnados não aceitam que Pinto da Costa e os restantes elementos da administração portista tenham sido absolvidos e querem também que o montante a pagar pelo FC Porto seja os 17 milhões de euros que foram pedidos.

Os prazos para recorrer da decisão só terminam em setembro, mas a SAD do Benfica já está a preparar um recurso para tribunal superior, acrescenta o referido jornal. A defesa do Benfica assentará na demonstração dos prejuízos sofridos pelo clube, após a divulgação das comunicações privadas, e que, na perspectiva dos encarnados, Pinto da Costa e os restantes elementos que geram a SAD do FC Porto deram a luz verde a Francisco J. Marques para dar início à divulgação da correspondência da SAD encarnada.

Já o FC Porto também vai recorrer da decisão e exigir que a SAD do Benfica pague 17 milhões de euros à SAD portista tendo como fundamento os alegados prejuízos desportivos que os 'dragões' sofreram devido aos indicíos de corrupção desportiva.

O juiz entendeu que a divulgação da correspondência privada da SAD do Benfica pelo FC Porto não foi marcada pelo interesse público e que foi determinada por interesses comerciais. O magistrado acrescentou ainda que Francisco J. Marques agiu enquanto funcionário do FC Porto e nunca como jornalista, pois não está, neste momento, habilitado para tal, uma vez que não possuiu carteira de jornalista.

Enquanto a decisão não transitar em julgado, não será paga qualquer indemnização. Caso os tribunais superiores confirmem a condenação, ao valor atribuído ainda somam juros a contar da data da divulgação da correspondência privada do clube da Luz, acrescenta o Correio da Manhã.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.