O atual presidente e candidato da lista E às eleições do Vitória de Setúbal, Vítor Hugo Valente, apresentou hoje Gerard Lopéz, acionista e presidente do Lille, como investidor do clube da I Liga futebol, caso seja reeleito.

O candidato, que teve ao seu lado na apresentação do seu programa eleitoral o proprietário do clube francês e o diretor desportivo Luís Campos, revelou a ambição de lutar já na próxima época pela Liga Europa.

"Com a capacidade financeira e o ‘know-how' destes investidores, que são a nata do futebol mundial, o Vitória tem como objetivo criar as condições necessárias para lutar pelas competições europeias e não para criar um Lille B", disse na sessão de apresentação.

O advogado Vítor Hugo Valente assegurou ainda que, além do investimento financeiro e da contratação de jogadores, há outros vetores a explorar com a entrada dos investidores.

"Temos de melhorar as nossas infraestruturas, construir um centro de estágio e modernizar o nosso estádio. Vamos fazer tudo isto e fazer uma aposta forte no futebol com investimento imediato sem perdermos a nossa identidade como clube histórico em que os sócios terão sempre a última palavra", referiu.

Depois de uma viagem atribulada pelo facto de ter descolado de Londres e de não lhes ter sido permitido aterrar em Lisboa, Tires e Beja, Gerard Lopéz e Luís Campos tiveram de ir a Faro para depois chegarem de automóvel a Setúbal, onde o dono do Lille explicou as razões de querer investir no Vitória de Setúbal.

"Estou aqui porque gosto muito do projeto. Queremos respeitar a história do Vitória, melhorar as suas infraestruturas e lutar por objetivos mais altos. Acreditamos que este é o clube certo para o fazermos em Portugal, país que tem um futebol de nível muito elevado", considerou.

Gerard Lopéz, que lidera um grupo empresarial que tinha vários países como possibilidade para investir, explica quais as mais-valias que entende que o Vitória de Setúbal tem.

"Sou proprietário de um grupo que está muito interessado em fazer crescer um clube de um campeonato diferentes do francês. Tínhamos a hipótese de ir à Holanda, Bélgica, Itália, entre outros, mas optámos por um projeto em que damos o que o clube quer e o clube dá-nos a sua história. É uma grande vantagem trabalhar num clube como o Vitória", disse.

Luís Campos, diretor desportivo do Lille que há 18 anos foi treinador do clube setubalense, não escondeu o seu entusiasmo pela possibilidade de poder trabalhar num clube especial para si.

"De todos os clubes por onde passei como jogador, treinador e nas funções que exerço agora, o Vitória foi em toda a minha experiência profissional aquele que mais me marcou. Claro que houve um lado afetivo que me levou a envolver neste projeto", salientou.

O diretor desportivo dos franceses disse que o objetivo passa por elevar o Vitória de Setúbal a outros patamares.

"Queremos que o Vitória e a cidade de Setúbal tenham, através do futebol, mais peso no panorama nacional e também internacional, como já teve no passado, se possível colocando o clube na luta por lugares europeus", referiu.

Para Gerard Lopéz entrar como investidor no clube da I Liga, Vítor Hugo Valente (lista E) terá de vencer nas eleições de sexta-feira os outros quatro candidatos que estão na corrida eleitoral: Chumbita Nunes (lista A), Pedro Gaiveo Luzio (B), José Dias Mendes (C) e Paulo Gomes (D).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.