Fabiano Freitas terminou contrato com o FC Porto no passado verão, ao fim de sete anos de ligação, mas continua atento ao futebol português e aos 'dragões'.

O guarda-redes não tem dúvidas de que Diogo Costa, que fez a estreia na I Liga no último domingo, face ao castigo de quatro jogadores do plantel portista, entre os quais Marchesín, poderá agarrar a vaga na baliza.

"O Diogo [Costa] ainda vai crescer muito. Ele tem um potencial muito grande, é um atleta consciente do que quer, é muito humilde, tem personalidade para ser guarda-redes, trabalha muito, sabe ouvir e está sempre atento aos que lhe procuram transmitir algo", afirmou Fabiano em declarações ao jornal O Jogo.

"Ainda se vai falar muito do Diogo Costa no FC Porto e em Portugal, porque ele vai dar muito ao clube e à seleção portuguesa", garantiu.

Atualmente ao serviço do Omonia, do Chipre, Fabiano admite que saiu "triste" do FC Porto: "Ninguém chegou a conversar sobre a hipótese de ficar no término do meu contrato. Tive de seguir a minha vida."

"Não diria que mágoa seja a palavra. Mas, claro, fiquei triste, porque era a prova em que estava a jogar. Saber que não ia jogar na final foi muito duro. Foi duro para mim e para a minha família, mas é como digo: procurei sempre ser o melhor profissional possível e nesse momento não foi diferente. Mesmo triste por não ter jogado, estive sempre de corpo e alma com o grupo e procurei apoiar todos os que jogaram", explicou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.