Fábio Coentrão admitiu em entrevista ao jornal Record que o Rio Ave é o último clube que vai representar em Portugal, apesar das 'juras de amor' ao Sporting no final do jogo de segunda-feira. O defesa de 31 anos admite terminar a carreira em Vila do Conde ou, em alternativa, jogar mais duas temporadas no estrangeiro.

"Se há clube que eu amo desde que nasci, e nunca saiu do meu coração, é o Rio Ave. Tanto assim é que todas as pessoas que me são próximas sabem que eu, para ir para o Rio Ave, perdi muito, muito dinheiro. Se alguém faz isto para jogar no Rio Ave, é sinal que tem de gostar do clube. Está na cara, nem tem discussão", afirmou Coentrão.

"Como já disse, não vou jogar em mais nenhum clube dos chamados grandes em Portugal. Disso tenho a certeza. Ou acabo no Rio Ave ou vou para fora mais dois anos. Estou muito grato ao Sporting, como estou grato também ao Benfica, por tudo o que fez por mim quando lá estive. Estou de consciência tranquila. No tempo que estive no Benfica dei sempre tudo aquilo que tinha. O Benfica ajudou-me e eu ajudei o Benfica. Quanto ao Sporting, é e será sempre, a partir de agora, o clube que eu hei de acompanhar para o resto da minha vida", prosseguiu.

"Acho que é perfeitamente normal cada um de nós ter um clube da terra e gostar de um grande. Quando falei do Sporting, estava a referir-me a isso, nunca metendo em causa o amor que tenho pelo Rio Ave. Isso seria impossível. Aliás, não me lembro de alguém em Portugal ter feito o que eu fiz este ano, ao abdicar do que abdiquei para poder cumprir o sonho de voltar a jogar no clube das minhas origens", termina Coentrão, quando questionado sobre as declarações no final do Rio Ave-Sporting.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.