Os assobios ouvidos após o apito final no Estádio do Dragão dizem tudo: foi um dos piores jogos da temporada do FC Porto, que ainda assim conseguiu vencer o Aves, graças a um golo de Iván Marcano aos 13 minutos. O resultado permite aos 'azuis e brancos' repor em dois pontos a desvantagem para o líder Benfica.

Depois do empate (1-1) no terreno do Marítimo, Sérgio Conceição surpreendeu ao lançar Bruno Costa no lugar de Matheus Uribe. De resto, o treinador portista manteve a base dos últimos duelos, deixando Zé Luís e Alex Telles novamente de fora, porventura a pensar no duelo europeu com o Rangers. Do lado do Aves, destaque para a estreia absoluta de Raphael Aflalo na baliza, por troca com Quentin Beunardeau, o habitual titular.

Apesar da exibição bastante pobre, o FC Porto não acusou o 'tropeção' na Madeira e só precisou de 13 minutos para chegar à vantagem. Depois de uma bonita homenagem a Fernando Gomes no minuto 9 - número que utilizava enquanto jogador – Marcano vestiu a pele de ponta de lança para fazer o primeiro golo da noite (terceiro na temporada): bom cruzamento de Otávio, com o defesa central a aparecer na área e a atirar, de primeira, para o fundo da baliza - a bola ainda bate no poste esquerdo antes de entrar.

O Aves procurou responder de livre direto, mas o remate de Welinton Júnior, ainda que forte, saiu muito por cima da baliza de Marchesín.

Aos 24’ Hélder Malheiro assinalou grande penalidade a favor dos ‘azuis e brancos’, considerando que houve falta de Afonso Figueiredo sobre Bruno Costa. No entanto, depois de conferenciar com o VAR e ir ele mesmo visionar as imagens, o juiz de Lisboa acabou por reverter a decisão.

A precisar urgentemente de pontos, o Aves ainda tentava ameaçar, mas mostrava dificuldades em chegar ao último terço. Aos 30 minutos, Welinton Júnior aproveitou um livre lateral para assustar Marchesín, com a bola a passar muito perto da barra. Logo a seguir, foi a vez de Raphael Aflalo travar o remate potente de Luis Díaz.

Ainda antes do intervalo, o FC Porto voltou a pedir penálti por suposta bola no braço de Mehremic. O árbitro (e o VAR) consideraram, contudo, que o braço estava colocado de forma natural ao longo do corpo.

A falta de inspiração dos ‘dragões’ arrastou-se até ao segundo tempo, enquanto a crença do Aves no empate crescia a cada livre de que ia beneficiando - num deles Mohammadi ainda obrigou Marchesín a defender com os punhos.

Sérgio Conceição optou por mexer na equipa e lançou Alex Telles e Zé Luís (saíram Mbemba e Luis Díaz), passando a jogar em 4x4x2, com o cabo-verdiano a fazer dupla com Tiquinho Soares. No entanto, o melhor que os 'azuis e brancos' conseguiram foi um cabeceamento à barra de Pepe, após canto de Alex Telles na direita.

O central português ainda evitou males maiores aos 82', ao antecipar-se a Yamga, mas a verdade é que o Aves também não teve capacidade para dar outro rumo à partida, pelo que o 1-0 acaba por ser o resultado mais justo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.