O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol castigou o presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, com uma suspensão de 90 dias. O dirigente terá de pagar uma multa de 11.480 euros.

De acordo com o comunicado publicado no site oficial da Liga de clubes, o castigo a Pinto da Costa decorre de participações do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol e da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) e devido a críticas do presidente dos ‘dragões’ ao setor da arbitragem.

Em causa estão declarações do líder máximo dos azuis e brancos no editorial da revista Dragões, em maio passado, nas quais o dirigente portista criticou os árbitros, mas também uma entrevista ao jornal O Jogo na qual o presidente portuense falou das nomeações dos árbitros.

"Infelizmente, parece que por vezes é mais fácil para o FC Porto ter êxito nas competições europeias, frente a rivais mais difíceis, do que em Portugal, onde muitas vezes os adversários vestem de preto, andam com um apito na boca ou estão sentados em frente a ecrãs de televisão. Triste o país onde abundam as paixões vermelhas e os pinheiros pouco iluminados, sempre disponíveis para subverter a classificação do campeonato, como agora o fizeram, demonstrando que o crime compensa e que não há camião de coação que não continue a dar resultados", afirmou.

A 14 de maio, em entrevista ao jornal O Jogo, Pinto da Costa voltou ao tema arbitragem e atacou nomeações de árbitros.

“Depois do clássico, o campeonato decidiu-se em três sítios: Vila da Feira, Braga e Vila do Conde. São três jogos onde ainda gostava de saber quem, a partir daí, foi buscar os padres à sacristia”, disse Pinto da Costa, em alusão a três jogos do Benfica.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.