O treinador António Folha disse hoje que o Portimonense “vai ter de jogar com coragem” para alcançar um bom resultado na receção ao FC Porto, no domingo, em jogo da quinta jornada da I Liga de futebol.

“O FC Porto é uma equipa muito poderosa e que nos vai criar muitas dificuldades, e a minha equipa terá que entrar com coragem e concentração, e atacar o jogo de uma forma forte e agressiva quando tivermos a posse de bola”, indicou o técnico dos algarvios.

António Folha falava na conferência de imprensa de antevisão do encontro que opõe o Portimonense, 13.º classificado, com quatro pontos, ao FC Porto, que reparte o segundo lugar com o Benfica, ambos com nove pontos, agendado para domingo, às 18:00, no Estádio Municipal de Portimão.

De acordo com o treinador, para que o Portimonense consiga alcançar um “bom resultado, terá de jogar sem medo de atacar quando tem a bola, e sem receio de perder e de fazer as coisas que são treinadas todos os dias”.

“Sabemos que temos um adversário muito poderoso, difícil de defrontar, e que está num bom momento, mas teremos de ter coragem e concentração durante todo o jogo para fazermos um bom resultado”, destacou.

O treinador antevê muitas dificuldades no confronto com o vice-campeão, que mesmo não podendo contar com alguns dos habituais titulares irá apresentar o seu melhor ‘onze’, já que tem um plantel com muita qualidade e com soluções para manter o seu poderio”.

“Acredito que o FC Porto vai apresentar os jogadores que estão em melhores condições para poder ganhar o jogo. Não creio que, mesmo trocando alguns jogadores, seja mais fraco, porque vejo uma equipa muito confiante, até pelos resultados que conseguiu”, sublinhou.

Para António Folha, “independentemente de jogar quem jogar no FC Porto, ao Portimonense cabe fazer o que lhe compete, que é jogar com coragem e sem medo de perder”.

O treinador dos algarvios considerou que a receita para conseguir um bom resultado, “passa sobretudo por o Portimonense apresentar o jogo que o tem caracterizado, com organização e disputar o jogo pelo jogo e sem medo do adversário”.

“Se não estivermos bem organizados a atacar, vai ser difícil estarmos organizados a defender e, aí o FC Porto é muito forte a explorar a profundidade defensiva das equipas e torna-se letal”, alertou.

Folha considerou ainda que a paragem do campeonato foi benéfica para o Portimonense, permitindo trabalhar e reforçar os setores da equipa.

“Penso que foi benéfica, porque trabalhámos bem os aspetos todos. Esperto que amanhã [domingo] os meus jogadores estejam num bom dia e que tenham muita coragem para fazerem aquilo que mais peço, que é não terem medo de perder”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.