António Folha não tem dúvidas: parte do sucesso do Portimonense frente ao Benfica vai depender muito do que fizer ou não os homens de Bruno Lage. O treinador do Portimonense falou da vitória sobre os 'encarnados' na primeira volta para lembrar que tudo mudou nas duas equipas: para melhor no Benfica e para pior no Portimonense, que perdeu jogadores-chave como Nakajima, Manafá e Ewerton.

"Não tem nada a ver o Portimonense da altura com o de agora, como não tem nada a ver o Benfica daquela altura com o de agora. O que mudou? Principalmente algumas peças que não jogavam em que agora são peças com muito destaque no Benfica. Trouxeram uma dinâmica, em termos ofensivos, que se aquilo estiver para aqueles dias bem-dispostos, é difícil de travar para qualquer equipa. O estado de espírito destes jogadores na altura em que defrontaram o Portimonense na primeira volta também não era o mesmo", comentou o técnico dos algarvios.

Folha falava na conferência de imprensa relativa ao encontro que vai opor no sábado, a partir das 18:00, o líder Benfica, com 78 pontos, ao Portimonense, 11.º classificado, com 36, no Estádio da Luz, em Lisboa, que terá arbitragem de Artur Soares Dias, da Associação de Futebol do Porto.

Para este jogo da 32.ª jornada da I Liga, António Folha sublinha que a "missa" será a mesma: não ter medo de perder, jogar para ganhar.

"São três pontos que estão em causa e o Portimonense luta da mesma forma por cada jogo. Vamos encontrar muitas dificuldades, muitas mesmo. Por culpa da competência do Benfica. E a nós cabe-nos cometer o mínimo de erros possíveis. É essa é a missa do António Folha quando fala com os seus jogadores. Não ter medo de perder, não ter medo de jogar e é assim que eu encaro e vou continuar a encarar a vida: sem medo", vincou.

O treinador assegurou que aos algarvios cabe agir com tranquilidade, recordando que, “matematicamente, não há a garantia de que os 36 pontos sejam suficientes para garantir a manutenção”.

“Por isso, vamos atrás de pontos em todos os jogos, seja com que adversário for. Trabalhamos sempre com tranquilidade, sabendo da nossa qualidade, com jogadores que já demonstraram ter competência para jogar na I Liga”, destacou.

O técnico lembrou que mesmo que a manutenção estivesse já garantida, o Portimonense apresentar-se-ia sempre com o objetivo de “tentar fazer o maior número de pontos possível, porque é assim que se tem de andar no futebol”.

Na opinião de Folha, o Portimonense “tem uma missão muito complicada, mas os jogadores são profissionais e já demonstram em qualquer campo a sua qualidade, fator essencial para progredirem na carreira”.

O Benfica-Portimonense, da 32.ª jornada da I Liga, está marcado para às 18h00 deste sábado, no Estádio da Luz. Os 'encarnados' lideram o campeonato com 78 pontos, mais dois que o FC Porto.
*Artigo atualizado

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.