A troca de palavras entre FC Porto e Benfica no rescaldo do 'Clássico' parece ser para durar. Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos 'dragões', voltou a falar e a apontar o dedo às 'águias' com duras acusações.

Em declarações ao Porto Canal, durante o programa Universo Porto Bancada, Francisco J. Marques começou por destacar a superioridade evidenciada pelos 'azuis e brancos' dentro das quatro linhas. "O FC Porto foi superior em 99 por cento nos aspetos do jogo. Só não foi superior na definição dos lances, pois o Benfica aproveitou as suas duas únicas oportunidades de golo. Foi a confirmação do que aconteceu no jogo da primeira volta", frisou.

O diretor de comunicação dos 'dragões' sublinhou a superioridade que o conjunto nortenho evidenciou nos dois jogos com o rival em comparação com o que se passa nos embates com as restantes equipas da I Liga. "O Benfica tem 20 jogos no campeonato nacional, como todas as equipas, tendo 11 golos sofridos. Praticamente metade foram marcados pelo FC Porto. Isto não é normal e sabemos que há razões para isto ter acontecido: beneficiou de decisões de arbitragens inaceitáveis", sublinhou.

A fechar, Francisco J. Marques afirmou que as palavras do Benfica após o jogo do Estádio do Dragão são sinal de falta de confiança em Bruno Lage e mostram sinais de paranóia, através da criação de uma narrrativa falsa. "A reação do Benfica é uma manifestação de muito pouca confiança no seu treinador. Chega ao jogo com o segundo classificado com sete pontos, perde o jogo e mantém vantagem de quatro pontos, mas entra em paranóia e cria a narrativa falsa e mentirosa de que foi prejudicado pela arbitragem. Porquê? Porque não confia no seu treinador. Sabem que há razões para alarme. Numa competição justa e com igualdade de oportunidades, o FC Porto tem uma palavra a dizer", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.