Francisco Salgado Zenha concedeu uma extensa entrevista ao jornal 'Record', publicada esta segunda-feira, onde o vice-presidente do Sporting explica o que levou o clube a decidir pagar cerca de dez milhões de euros ao Sporting de Braga para ter Rúben Amorim ao leme da equipa principal.

"A decisão de avançar com a contratação teve a ver com os motivos que o presidente já transmitiu e com o facto de considerarmos que Rúben Amorim tem o perfil certo. Foi uma decisão muito discutida, complexa, mas muito bem justificada e com um racional muito forte", afirma o dirigente leonino na entrevista.

Segundo Salgado Zenha, o Sporting garantiu aquela que será, talvez, a maior promessa do futebol português a nível de treinadores. "Temos o conforto de estarmos a tentar fazer o melhor pelo Sporting, ao contratar um treinador que é, se calhar, uma das maiores promessas do futebol português nessa área", sublinhou.

Salgado Zenha afirma pensar tratar-se de uma aposta mais segura do que investir o mesmo valor no pagamento de salários a um treinador estrangeiro mais consagrado. "O que muitas pessoas queriam era gastar esse mesmo valor em salários de um treinador internacional, reconhecido, mas na fase descendente da sua carreira e que cobraria isso no salário anual", acrescentou.

O vice-presidente dos 'leões' aponta depois, na mesma entrevista, algumas das caracterísitcas que levaram a esta aposta. "Estas decisões não são fáceis, mas dentro das alternativas e do que melhor se adequa ao projeto, não houve dúvidas em ir buscar o Rúben Amorim, um treinador que aposta na formação e que conhece o futebol português, não só como técnico, mas também como jogador", lembrou.

Os elogios de Salgado Zenha a Rúben Amorim não se ficaram por ali. "É um técnico do qual temos as melhores referências. Pelo 'feedback' e pelo relatório que nos foi apresentado, também como pessoa tem ótimas qualidades, tem referências excelentes em todo o lado e na sua curta carreira teve sempre muito sucesso. Além disso, tem o perfil do treinador que foi campeão nacional nas últimas 15 temporadas - treinadores portugueses, formados localmente, que conhecem muito bem o futebol português, têm o discurso certo, não têm medo de apostar na formação e que, no final de contas, o que podia parecer caro sai barato", reforçou.

De acordo com o vice-presidente dos 'verdes e brancos', o valor devido pelo Sporting ao Sporting de Braga pela contratação do técnico sairá do orçamento definido para 2020/21 e será retirado da verba destinada ao reforço do plantel. "É simples. Retira-se à aquisição de jogadores. Há uma verba para investimento em jogadores, e dessa verba vou retirar o valor da aquisição do Rúben Amorim", explicou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.