Antigo jogador do FC Porto, onde ao longo de oito temporadas venceu títulos de campeao nacional, uma Liga Europa, três Taças de Portugal e cinco Supertaças, Jorge Fucile recordou em entrevista ao site oficial dos 'azuis e brancos' os tempos que viveu de dragão ao peito.

"Quando cheguei, ainda joguei com o Vítor Baía e havia também o Pedro Emanuel e o Hélder Postiga. Também estava o Quaresma, que era fantástico. Foi dos melhores jogadores com quem joguei na carreira", começa por recordar o lateral uruguaio.

A equipa que ganhou a Liga Europa, com André Villas Boas ao leme, também mereceu menção. "Tinha muita qualidade. O João Moutinho, o Fernando, o Guarín...Todos jogadores de seleção e de qualidade. Foi essa a diferença do FC Porto em relação às outras equipas. Descobrir jogadores novos e catapulta-los para que sejam melhores", destacou.

Fucile recordou ainda outros jogadores. "O Raul Meireles, o Bosingwa, o Bruno Alves... O Bruno saltava e chegava à lua. Era incrível. É um animal. E o Pepe, que ainda está a jogar e que é um fenómeno. Tínhamos uma relação de balneário excelente", assinalou.

Quanto à sua carreira, Fucile ainda joga, encontra-se atualmente sem clube e não sabe se continuará a jogar por muito mais tempo. "Acho que não vou jogar mais, embora ainda consiga jogar. Por causa do coronavírus só estou em casa a comer e estou a começar a ficar gordo. A última equipa em que estive foi em Espanha e, depois, decidi voltar para o Uruguai, mas um dirigente do Nacional, onde gostava de terminar a carreira, não me quis", explicou.

Surgiram equipas para jogar, mas não queria sair do Uruguai. O meu pai já tem 70 anos e não quero que lhe aconteça alguma coisa sem eu estar aqui. Como não conseguir ir para o Nacional, fiquei sem jogar. Mas já consegui muitas coisas boas no futebol e estou feliz", garantiu Fucile.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.