Maus resultados, más exibições, uma eliminação chocante na ‘Taça’, trocas de treinadores, Assembleias Gerais a ‘ferro e fogo’, contestação e cortes de relações com as claques: os tempos que se vivem em Alvalade por esta altura não são nada fáceis.

Numa altura em que se procura o culpado para todo o clima que rodeia o Sporting, um grupo de sócios já tem a ‘mira’ apontada aquele que consideram ser o principal responsável pela crise leonina.

Segundo avança o jornal ‘O Jogo’ esta segunda-feira, ex-candidatos, ex-dirigentes e sócios com muitos anos de clube estão a preparar uma Assembleia Geral extraordinária para a destituição do Presidente do Sporting Clube de Portugal, Frederico Varandas.

As reuniões para preparação do pedido têm-se focado principalmente na preparação da argumentação a apresentar para justificar uma AG extraordinária, que terá de ser aceite por Rogério Alves, Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Além de uma justificação válida, os sócios que pretendem avançar com a destituição do presidente ‘leonino’ terão ainda de assumir os custos inerentes à realização da reunião magna do clube bem como juntar as assinaturas de sócios que, juntos, totalizem 1000 votos.

De recordar que não é só Frederico Varandas que está debaixo de fogo, também a Mesa da Assembleia Geral (presidida por Rogério Alves) e o Conselho Fiscal e Disciplinar (presidido por Joaquim Baltazar Pinto) têm sobre si um pedido de destituição apresentado pelo movimento ‘Salvar o Sporting’.

As justificações para a destituição destes dois órgãos avançadas pelo movimento são as graves violações dos estatutos do Sporting.  Um dos argumentos utilizados para a destituição do órgão presidido por Rogério Alves são as violações do regulamento que terão ocorrido na última reunião magna do clube, já no caso do Conselho Fiscal e Disciplina, a argumentação passa pelas ameaças de processos, feitas pelo órgão, a sócios leoninos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.