O guarda-redes, Ivan Zlobin, concedeu uma entrevista à revista 'Championat' onde recordou a sua passagem pelo Sporting antes de rumar ao Benfica.

O guardião russo esteve em destaque nos festejos dos 'encarnados' na recente conquista do título de campeão ao seguir as 'pisadas' de Paulo Lopes e erguer o troféu numa nas balizas do Estádio da Luz, mas poucos sabem que Ivan Zlobin chegou a fazer testes no Sporting antes rumar ao Seixal em 2015/2016.

Num dos excertos da entrevista à referida revista, Ivan Zlobin recordou as duras condições de trabalho em Alcochete.

"Foi a minha primeira oportunidade para vingar num grande clube no Ocidente. As condições eram como no exército: beliches, seis ou sete pessoas no mesmo quarto e todos de diferentes nacionalidades. Alguns acordavam a meio da noite para rezar, outros tinham rituais diferentes", começou por relatar Ivan Zlobin antes de recordar um episódio particularmente doloroso no Sporting.

"Os juniores treinavam em relvados artificiais. (...) Magoei-me, fiquei com queimaduras e trataram-me com um unguento que não ajudou a melhorar. Tinha vergonha de ir ter com os médicos a chorar e procurei na Internet como tratar de queimaduras. Não conseguia dormir à noite, era assustador. Vi que pasta de dentes ajudava...", acrescentou Zlobin para depois falar da sua chegada ao Caixa Futebol Campus no Seixal.

O guarda-redes russo recorda depois como o seu agente o levou para fazer testes no Benfica e como as condições do Seixal o deixaram deslumbrado.

"[O meu agente] Disse para me equipar e ir ter com ele ao estádio [em Leiria]. Quando lá cheguei, perguntei onde íamos. ‘Benfica’, respondeu. ‘Uau’, pensei. Quando cheguei e vi as condições... era o céu na terra. Quartos como no hotel, fiquei num duplo. Fui logo para a equipa B, observaram-me durante uma semana e pediram-me para ficar, apesar de eu pensar que me tinha corrido pior no Benfica que no Sporting", disse Zlobin.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.