José Pereira assumiu hoje o controlo da formação como uma das prioridades para o desejado novo mandato na presidência da Associação Nacional de Treinadores de Futebol, considerando que o Estado está a "estragar" o que de bom foi feito.

O candidato da lista B - Nicolau Vaqueiro lidera a lista opositora no congresso eleitoral de 1 e 2 de junho em Oliveira de Azeméis - promete «lutar pela criação da escola nacional dos treinadores de futebol», defendendo que é à ANTF que compete a sua formação.

O dirigente diz que o Estado «veio beber algumas coisas» ao seio da instituição para agora legislar o setor, «mas querem adulterar o que de bem tem sido feito».

«Assumo o compromisso de discutir a formação com o Estado e a federação. Até Hermínio Loureiro, anterior secretário de Estado do Desporto e agora vice-presidente da federação, diz que não entende como o Estado está a estragar tudo ao meter-se na formação dos treinadores», criticou.

Com António Oliveira a liderar a assembleia-geral e Manuel Gonçalves "Neca" o conselho fiscal, José Pereira promete «fazer algumas coisas diferentes»:

«Há alguns treinadores jovens na nossa lista que nos vão empurrar para novas ideias, comprometimentos, estratégias na defesa dos interesses dos treinadores de futebol.»

O vice-presidente da Associação Europeia da classe assume uma «conjuntura nada favorável», mas promete «dar sequência ao legado de deixado por José Maria Pedroto», com «empenhamento, capacidade e persistência igual à dos jogos».

O candidato quer estabelecer «parcerias com instituições que permitam mais-valias», tentar um cartão livre transito dos técnicos para os estádios de futebol e, acima de tudo, «corresponder aos desafios do presente e futuro, que se faz hoje».

António Oliveira regressa ao futebol por acreditar que o candidato tem «ideias e condições para dignificar e reforçar a posição dos treinadores no futebol».

«Sempre disse aos jogadores que não sabem a força que têm, mas isso também acontece com os treinadores, que ainda não o sabem», acrescentou o antigo selecionador.

O técnico que também se destacou ao serviço do FC Porto concluiu:

«Quando percebi as palavras e intenções, acredito que finalmente está criado o momento para que os treinadores de futebol se poderem afirmar um pouco mais, reivindicar um pouco mais. Parece-me que nosso presidente está nessa linha do que pode ser alteração do paradigma em relação a muitas coisas que acontecem e que não nos são benéficas.»

Domingos Paciência, Carlos Dinis, Vítor Manuel, Carlos Secretário e Vítor Paneira são alguns dos candidatos a vice-presidente, enquanto o conselho consultivo integra treinadores como Manuel José, Mário Wilson, Octávio Machado, Toni, Carlos Carvalhal ou Fernando Santos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.