O futuro de Bruno Lage foi um dos temas que marcaram a conferência do treinador do Benfica, na antevisão do jogo com o Marítimo. O treinador falou doa crise que a equipa vive, comentou o interesse do Benfica em Jesus para o seu lugar e ainda abordou a questão das bolas paradas defensivas que têm custado muitos golos aos campeões nacionais.

Análise ao Marítimo: "O Marítimo tem uma equipa técnica excelente, que conheço bem, temos de fazer um grande jogo e temos várias soluções para apresentar em campo, mas só serão conhecidas amanhã."

Conversa com jogadores e presidente sobre o futuro: "O que posso dizer é que o que vai na minha cabeça é disputar este campeonato até ao fim e vencer a Taça de Portugal."

Sente-se um treinador a prazo? "Não. Não sei a forma como você encara a sua vida, a minha é encarar tudo de forma sempre positiva e objetiva. O que vai na minha cabeça é disputar este campeonato até ao ultimo jogo e vencer a Taça de Portugal."

Jorge Jesus apontado ao Benfica: "Não tenho qualquer comentário sobre propostas a Jorge Jesus."

Sente que tem condições para continuar mesmo com duas vitórias em 12 jogos? "Sim! Há uma coisa muito clara que todos temos de perceber. Nunca aqui estive a comentar ou a recordar o que de positivo fizemos. Tenho presente que há recorde que tenho na cabeça é este, negativo, porque o Benfica nunca tinha passado por esta situação. Estou consciente do atual momento e dos resultados. Desde o primeiro dia, o que me caracteriza é lutar, trabalhar e preparar sempre os meus jogadores e o jogo seguinte da melhor forma. Disputar este campeonato. Que fique muito claro que aquilo que eu quero é o que os adeptos querem: vencer. É para esse conjunto de vitórias que trabalhamos de forma empenhada, para que sejam uma constante."

Jogadores com poucos minutos? "A continuidade é trabalhar. Temos de ter consciência de que temos uma equipa muito competitiva, com muita gente disponível para querer ajudar. Todos querem ajudar. Nunca desisti de ninguém, nem do Adel, nem do Zivkovic... o Zivkovic aparece agora a dar sinais. Além de perder peso, teve uma reentrada muito positiva. Vê-se que está disponível, esteve praticamente um ano sem jogar e agora aparece com esta atitude".

Promessa: "Sinto a equipa comigo, toda a gente disponível para ajudar. Se eu nunca desisti de ninguém, também não posso desistir de mim. O que posso prometer é trabalhar sempre da mesma forma, com dedicação e competência".

Sente que o grupo está com o treinador? "Ainda recentemente recebi uma mensagem de um grande jogador, que está no Brasil depois de uma excelente carreira e a merecer férias, que teve os treinadores que teve e que tem a humildade de enviar enviar a mensagem que enviou... [de bem] com os que estão e os que já foram. Aproveito para enviar uma mensagem ao Jonas, que me marcou muito na minha carreira".

Vencer o Marítimo será decisivo? "Eu falo por mim: com toda a força, motivação e determinação, vamos disputar o campeonato até final e vencer a Taça de Portugal. É o que está na minha cabeça, nas minhas convicções e como vejo minha equipa treinar".

Problemas nas bolas paradas defensivas: "A bola parada tem forças e fraquezas e evidenciam-se mais quando as coisas acontecem. É algo que temos trabalhado muito e há que preparar em função dos problemas que o adversário nos provoca. Temos trabalhado muito isso, mais que uma solução para defender um determinado lugar, algo que não podemos dar é altura aos jogadores. O que se tem de fazer é esconder as fraquezas e potenciar as nossas virtudes e força".

O Benfica defronta o Marítimo está segunda-feira às 18h00.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.