Depois das notícias deste sábado darem conta de erros nos testes à COVID-19 realizados aos jogadores de Vitória de Guimarães e FC Famalicão, e já depois dos esclarecimentos do Conselho de Administração do Hospital de São João e da Unilabs, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) esclareceu a parceria que tem com o laboratório. 

A Liga dá conta que a escolha do laboratório aconteceu depois de uma consulta ao mercado, de onde a Unilabs revelou ser o laboratório com "melhores condições ofereceu para a quantidade e especificidade dos testes pedidos pela Direção-Geral da Saúde".

A LPFP afirma ainda que todos os testes estão contratualizados e são pagos pelos clubes, não recebendo a Liga qualquer receita deste acordo entre o organismo e o laboratório.

É esclarecido ainda que os clubes não são obrigados a realizar os testes pelo laboratório da Liga, "embora a grande generalidade dos Clubes tenha optado por o fazer".

O esclarecimento da Liga surge depois de uma noticia publicada pelo jornal 'Expresso' que dava conta de erros nos resultados de 9 dos 11 testes realizados a jogadores de Vitória SC e Famalicão.

O Hospital de São João afirma que "desconhece qualquer estudo feito a atletas de clubes profissionais ou não profissionais de futebol realizados na instituição", e a Unilabs nega as "conclusões alarmísticas, despropositadas e sensacionalistas" presentes no artigo em causa.

A Unilabs foi anunciada como o parceiro escolhido pela Liga Portugal para os testes à COVID-19, no passado dia 12 de maioo, para os testes que terão de ser feitos pelos jogadores de futebol antes do regresso aos treinos e jogos, na retoma da I Liga portuguesa de futebol.

O acordo conferiu à Unilabs o estatuto de parceiro oficial de saúde da Liga Portugal.

Os testes obrigatórios aos jogadores das equipas da I Liga portuguesa de futebol serão custeados pelos próprios clubes. A Unilabs realizará os testes nos próprios estádios e centros de estágio. "Esta é uma área na qual a Unilabs tem experiência relevante, mostrando grande capacidade de realização de testes de rastreio fora do meio hospitalar, em condições de conforto e segurança coletiva", refere a Liga Portugal.

"A Liga conseguiu, atempadamente, negociar com a Unilabs a presença dos seus técnicos nos nossos estádios e centros de estágio, sem que exista necessidade de deslocação dos jogadores e staff, e estes são motivos que temos como muito importantes na preparação deste regresso da competição aos relvados portugueses", disse Sónia Carneiro, diretora executiva coordenadora da Liga Portugal.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o seu reinício marcado para 03 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada em 16 de maio.

Faltam disputar 90 jogos do principal escalão do futebol nacional, o único que não foi cancelado devido ao novo coronavírus, assim como a final da Taça de Portugal, que vai opor Benfica e FC Porto.

Após 24 jornadas, os ‘dragões’ lideram a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 335 mil mortos e infetou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,9 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.289 pessoas das 30.200 confirmadas como infetadas, e há 7.590 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia o comunicado na integra:

"No âmbito de notícias veiculadas no dia de hoje, que levantam questões à forma como a escolha do laboratório para testar os clubes do Futebol Profissional, a Liga Portugal esclarece que esta escolha foi feita depois de uma consulta ao mercado, durante a qual foram pedidos pareceres a sete laboratórios, dos quais obtivemos quatro respostas.

A Unilabs foi o laboratório que melhores condições ofereceu para a quantidade e especificidade dos testes pedidos pela Direção-Geral da Saúde, sendo reconhecidamente um laboratório com credibilidade:

Perante estes factos, a Liga Portugal entende ser pertinente esclarecer o seguinte:

1- No sentido de serem retomadas as competições profissionais de futebol com todas as medidas de segurança e prevenção definidas pela Direção-Geral de Saúde, a Liga Portugal entendeu protocolar com um laboratório, de forma a prestar apoio aos Clubes da Liga NOS e LigaPro (na altura ainda não havia decisão sobre a suspensão definitiva), no que são as necessidades inerentes a uma logística complexa de realização de testes de diagnóstico COVID-19;

2 - Foi feita uma consulta exaustiva ao mercado a várias unidades de saúde e laboratoriais. A Unilabs acolheu todas as exigências impostas pela Liga Portugal, e trata-se de um laboratório com reconhecimento nacional e internacional, quer pela qualidade do serviço, quer pela disponibilidade de vários postos de colheita em diversos pontos do país;

3 - Os testes são contratualizados e pagos por cada clube de forma individual com o laboratório escolhido. A Liga Portugal não recebe qualquer receita proveniente deste acordo; A Liga Portugal não é informada pelo Laboratório do resultado dos testes;

4 – O protocolo celebrado não pressupõe exclusividade e os clubes são livres de realizar os testes com o laboratório que entenderem mais adequado, desde que respeitem os critérios e exigências definidas pelas autoridades de saúde. Não há obrigatoriedade de realização dos testes na Unilabs, embora a grande generalidade dos Clubes tenha optado por o fazer;

5 – A Liga Portugal questionou a Unilabs, a sua parceira relativamente às questões relacionadas com os atletas do FC Famalicão e Vitória SC, tendo a mesma informado de acordo com o Comunicado que já hoje publicou, em conjunto, com o Centro Hospitalar Universitário São João;

6 – A Liga Portugal tudo tem feito para que o Futebol possa regressar, dentro da maior normalidade possível. Todo e qualquer passo que tem sido dado é fruto de um trabalho profundo e, no campo da saúde, em articulação com os médicos. Esta semana proporcionámos aos Clubes do Futebol Profissional uma ação de trabalho e esclarecimento com o Professor Filipe Froes, pneumologista, consultor da DGS e da Liga Portugal. Juntos temos estado a trabalhar com o objetivo de uma Retoma tranquila, que permita terminar a temporada, como é desejo de todos."

*Artigo atualizado às 12h05

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.