O plantel do Benfica celebrou hoje o 37.º título de campeão português de futebol num jantar de gala, com cerca de seiscentos convidados, que decorreu na Trafaria, em Almada.

No seu discurso, Luís Filipe Vieira aproveitou para fazer um balanço da temporada, enaltecendo a segunda volta do campeonato, nomeadamente os triunfos sobre os adversários mais diretos.

"A reconquista foi ganha! E foi ganha muito graças ao mérito destes fantásticos jogadores que num percurso histórico fizeram uma segunda volta arrasadora, igualando recordes históricos quanto ao número de golos marcados. E nos 6 jogos disputados com os nossos principais rivais, FC Porto, Sporting e Sp. Braga, vencemos 5 e empatámos apenas um. O mérito é indiscutível, reconhecido, premeia o melhor futebol e a melhor equipa do campeonato", começou por dizer o Benfica, em declarações reproduzidas pelo jornal Record.

"Uma vitória da verdade desportiva e do vasto conjunto de profissionais e funcionários que, nas diversas áreas, dão corpo à nossa estrutura e à estratégia que desde a primeira hora assumi, defendi e liderei para o Benfica. Quero agradecer por isso e dar uma palavra de particular elogio àqueles que estiveram comigo mais de perto na liderança do projeto do futebol profissional, nomeadamente ao Rui Costa e ao Tiago Pinto, ao Domingos Soares Oliveira e toda a sua estrutura profissional", acrescentou.

O líder das 'águias' deixou ainda palavras elogiosas a Bruno Lage, treinador que assumiu o comando da equipa principal no início de janeiro.

"E o que dizer de Lage? Melhor do que ninguém, personificou o sentido do projeto do Seixal. A forma como conciliou a aposta nos nossos jovens talentos com a qualidade e a experiência de outros jogadores do plantel, mas também a coragem, entusiasmo e determinação com que enfrentou este desafio, caracterizam uma força tranquila que merece um elogio muito especial. Obrigado, Bruno Lage! O futuro do Benfica está por muitos e bons anos garantido", garantiu.

"E para esse desígnio acredito que foi essencial nos momentos mais difíceis, ter tido o discernimento de conseguir manter a união entre todos os benfiquistas, sempre com o objetivo e preocupação maior e acima de tudo de defender os superiores interesses do Benfica. Afinal, a exemplo do que sempre procurei fazer nestes mais 15 anos de um percurso de que me orgulho e que estou certo os benfiquistas se revêm. Foi um ano em que demonstrámos que os momentos difíceis só serviram para nos tornar ainda mais fortes, mais unidos e mais coesos do que nunca. Temos um passado que nos honra, um presente que nos orgulha e uma enorme ambição de futuro", rematou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.