Manuel José considera que Petit foi "honesto, mas ingénuo" ao admitir no final do encontro com o Feirense (vitória do Marítimo por 2-0) que pediu aos seus jogadores em risco de suspensão para forçarem cartões para não defrontarem o Benfica na próxima jornada.

Recorde-se que Joel e Egdar Costa provocaram de forma deliberada a amostragem de cartões no Marítimo-Feirense, para não defrontarem o Benfica no jogo de segunda-feira, no Estádio da Luz, limpando assim a folha disciplinar para as últimas quatro jornadas do campeonato. Após o jogo com os 'fogaceiros', Petit confirmou os amarelos como fazendo parte da estratégia do clube insular.

"É uma prova de honestidade, que, infelizmente, não é comum no futebol português. Aquilo que o Petit disse todos os treinadores fazem, o Petit apenas teve a hombridade e a ingenuidade de o dizer publicamente", começa por defender Manuel José, em declarações ao SAPO Desporto.

O Marítimo, recorde-se, ocupa atualmente a 10.ª posição da tabela classificativa, com 33 pontos, seis acima da linha de água. Além do Benfica, a equipa madeirense vai medir forças com Tondela, SC Braga, Portimonense e Boavista, sendo que apenas os minhotos não estão em risco de descer à Segunda Liga.

"O Petit não joga para ser campeão nem joga para a Europa, está a lutar para se manter na primeira divisão. Ele não está com isso a retirar importância ao jogo com o Benfica, apenas está a salvaguardar jogadores que considera importantes para os desafios contra as equipas que também lutam para não descer. Cada um faz a gestão do plantel à sua maneira", acrescenta.

Carlos Pereira defende Petit: "O problema do futebol português é não se poder ser verdadeiro"
Carlos Pereira defende Petit: "O problema do futebol português é não se poder ser verdadeiro"
Ver artigo

Para Manuel José, há uma razão para a polémica em torno das declarações de Petit. "O problema foi admitir o que fez antes do jogo contra o Benfica, porque há outros interessados em serem campeões, e como tal tudo é motivo de suspeição. Acho que ele foi honesto, mas ingénuo. Ele tem de saber o mundo em que vive e aquilo em que o futebol português se transformou", defende o experiente treinador, lamentando que se continue "a levantar suspeições sobre gente honesta".

De referir que o regulamento da Liga não contempla um castigo adicional por forçar amarelos, ao contrário do que acontece, por exemplo, na UEFA, cujos responsáveis pela disciplina puniram recentemente Corona (FC Porto), Sérgio Ramos e Carvajal (Real Madrid) com dois jogos de suspensão, um pelo amarelo e outro pela provocação dessa mesma cartolina.

"Qualquer medida a favor da verdade desportiva e de um futebol mais transparente é sempre bem-vinda. Obviamente que é errado pedir a um jogador para forçar o amarelo, mas todos os clubes fazem gestão do plantel à sua maneira", reforça.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.