Moussa Marega esteve, esta terça-feira, envolvido num eventual negócio com o Valência, mas a direção do FC Porto não recebeu qualquer proposta por parte do emblema 'Ché', tendo havido apenas abordagens com valores bem longe dos 30 milhões de euros.

De acordo com o jornal O Jogo,  Sérgio Conceição nem admitiria a saída do avançado numa altura em que está difícil encontrar um substituto.

O afastamento da Liga dos Campeões deixou a equipa portista numa situação financeira mais complicada, mas nem isso a fará baixar o valor da cláusula de rescisão.

Segundo o o jornal "SuperDeporte", Marega é a principal opção para o ataque do Valência, mas só depois de vários outras contratações acontecerem.

O jornal O Jogo explica como é que as coisas têm de acontecer para que Marega seja contratado pelo Valência: "Primeiro, o Milan terá de encontrar colocação para André Silva para depois contratar o argentino Ángel Correa ao Atlético de Madrid. Se assim acontecer, os "colchoneros" devem comprar Rodrigo (ex-Benfica) por 60 milhões de euros. Só então é que o Valência avançaria para Marega... Ora, não sendo impossível este 'efeito dominó', o facto de faltarem poucos dias para o fecho do mercado torna-o pouco provável"

Mateu Alemany, diretor-geral do clube do Valência, terá viajado para o Porto este semana para negociar formalmente com os responsáveis portistas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.