A dez dias do arranque do campeonato, o Moreirense ainda não tem qualquer contrato firmado para a cedência dos direitos das transmissões televisivas dos seus jogos em casa.

De acordo com o jornal Record, os 'cónegos' são praticamente o único clube da I Liga sem contrato com um operador televisivo, o que coloca em causa a utilização do videoárbitro nos jogos que terão lugar no Comendador Joaquim de Almeida Freitas.

Em declarações à mesma publicação, o presidente do Moreirense confirmou que o clube está livre de qualquer contrato, sendo que a Sport TV já apresentou uma proposta, e espera que as negociações evoluam até ao dia 11, data do arranque do campeonato.

"É verdade que estamos livres. Somos um clube pequeno, as pessoas já me ligaram, mas há situações que temos de ver. Até dia 11 estou à espera que me contactem", afirmou Vítor Magalhães.

O jornal Record adianta que o dirigente já se reuniu com Joaquim Oliveira, dando-lhe conta do seu desacordo pelo facto de a Sport TV querer aplicar ao seu clube a tabela destinada aos emblemas de média dimensão, pagando 3,4 milhões de euros por ano.

Se o impasse se mantiver até ao Moreirense-Gil Vicente, da segunda jornada, a utilização do VAR estará em risco se a FPF não ativar uma solução de recurso que salvaguarde a equidade da competição.

"Também por isso teremos de chegar a um acordo. Não sei como vai funcionar o videoárbitro. Percebo, isso sim, que se trata de um problema tremendo", disse Vítor Magalhães.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.