José Mourinho não concordou com a decisão da SAD do Vitória de Setúbal em despedir o treinador Sandro Mendes, após mais um empate dos sadinos em casa, para a Primeira Liga, desta feita frente ao Marítimo. Conhecido adepto do emblema do Bonfim, o técnico José Mourinho sublinhou que havia rumos de que o afastamento de Sandro já tinha sido decidido mesmo antes deste jogo e que o próximo treinador dos sadinos até já estava decidido antes do empate de sábado com o emblema madeirense.

"Acho que é uma injustiça. Sandro é um rapaz da cidade, que se formou como jogador no clube e que até foi vendido com bom encaixe financeiro para o Vitória de então. Recordo que regressou a Setúbal como jogador e que fez história no clube, ganhando taças. E quando este estava num momento difícil, apesar de estar longe de pensar em fazer carreira como treinador, foi chamado, respondeu afirmativamente e salvou o clube da descida de divisão. E este ano, tendo em conta as saídas e a qualidade das entradas, mantinha a equipa numa situação classificativa de acordo com o seu potencial. Era, portanto, previsível que esta época o Vitória não iria novamente descer de divisão", sublinhou Mourinho em declarações divulgadas pela sua assessoria de imprensa.

"Para mim, enquanto vitoriano, independentemente de quem é o presidente, o treinador ou os jogadores, o que me interessa e mais gosto é que o meu clube ganhe. Naturalmente, como setubalense, tal como o Sandro, e pela maneira como nós setubalenses sentimos o Vitória, fico triste com a sua saída. E sobretudo pela forma como ela aconteceu. Quando um treinador é despedido imediatamente a seguir a um jogo, ainda por cima um jogo que, não tendo sido bom, esteve de acordo com o potencial evidenciado pela equipa, um jogo em que o Vitória não foi derrotado e cujo resultado mantém a equipa com os mesmos pontos de equipas do meio da tabela, muitas delas com um potencial muito superior ao do Vitória, parece que quase se esperava por uma não-vitória para se fazer esta mudança", completou.

O 'Special One' disse mesmo que não ficou surpreendido e sublinhou que havia rumos de que o afastamento de Sandro já estava decidido antes do jogo.

"No futebol já nada me surpreende. Mas Setúbal é uma cidade pequena e nela já corriam rumores sobre a saída de Sandro. Constava-se mesmo que a saída não só estava preparada como, inclusivamente, estava já decidida a entrada de outro treinador ainda antes do afastamento deste. Pelos vistos não eram só rumores, era o que estava a acontecer. Mas no futebol, repito, nada me surpreende", atirou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.