Shoya Nakajima vai deixar o Portimonense para representar o Al Duhail, treinado pelo português Rui Faria. Para pôr um ponto final nos rumores que diziam que a decisão tinha sido do clube algarvio e do seu empresário, o jogador japonês decidiu esclarecer a questão nas redes sociais.

"Depois de ler algumas notícias senti que pode haver alguns mal-entendidos sobre esta transferência", começou por dizer Nakajima, esclarecendo de seguida a decisão: "Não foi o Portimonense ou o empresário que decidiu a transferência para o Al Duhail. Fui eu próprio que decidi".

"O Portimonense foi um clube que sempre me apoiou desde que assinei, o primeiro clube estrangeiro que representei e onde sempre pude praticar futebol com diversão e sem stress. Ficam memórias maravilhosas por estar rodeado de pessoas verdadeiramente boas durante um ano e meio. Pelo Portimonense sinto apenas gratidão. É um clube que posso voltar a representar", esclareceu.

O avançado de 24 anos explicou ainda que a decisão de sair do Portimonense não esteve relacionada com "dinheiro, fama, nível da liga ou fama da equipa", mas com o estilo de jogo da equipa do Qatar.

"Não me interessa muito participar em competições como a Liga dos Campeões, apesar de ser um sonho que tenho desde pequeno", referiu, acrescentando que fez duas visitas ao Qatar antes de tomar a decisão de deixar o emblema luso.

"Visitei duas vezes o Catar antes da transferência e senti o estilo de jogo da equipa, as ideias do diretor, o ambiente e o clima do país. Estou certo que aqui poderei viver feliz e sem ansiedade. Não me arrependo da minha decisão", disse.

O treinador do Portimonense, António Folha, tinha confirmado na semana passada a saída do japonês, de 24 anos, numa época em que realizou 14 jogos e apontou cinco golos, após a derrota por 1-0 frente ao Desportivo de Chaves.

Nakajima chegou a Portimão em 2017/18, por empréstimo do FC Tokyo, e marcou 10 golos em 33 jogos na primeira época.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.