O líder dos Leões deixou bem claro que a suspensão de 113 dias por parte da Conselho de Disciplina e da Federação Portuguesa de futebol não o vai impedir de ser o presidente do Sporting.

“Eles pegaram em frases como: o senhor Vítor Pereira já ultrapassou todos os limites da falta de bom senso. É só ver as nomeações que foram feitas. Isto é opinativo, nem falo sobre a restante classe. Depois, começaram a sair notas no jornal sobre arbitragem. E eu disse, nessa altura, que era inacreditável e queriam provocar o pânico dos árbitros nos jogos do Sporting e, ao mesmo tempo, passar uma mensagem que os jogadores do Sporting nunca eram punidos. Isto é a defesa dos árbitros, não é contra. E retiram daqui que os estou a acusar, quando eu só queria que os deixassem trabalhar em paz. Há-de aparecer, seja quem for, que me retire o direito daquilo que os sócios do Sporting me deram”, disse Bruno de Carvalho, em entrevista ao Jornal Nacional da TVI.

“Não posso representar publicamente o Sporting? Mas venha lá o mais careca, está fora de questão. Podem-me tirar do relvado e área técnica, está mal, mas tirar-me o direito de representar o clube. As pessoas elegem-me, e é um órgão da Federação que decide que não posso ser presidente”, acrescentou.

Bruno de Carvalho foi suspenso pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de futebol por 113 dias, enquanto o diretor-geral ‘leonino’, Octávio Machado, foi punido com 75.

O castigo do Bruno de Carvalho está relacionada com uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015 e que o CD apenas agora decidiu, por unanimidade, considerando que Bruno de Carvalho cometeu três infrações de lesão de honra e reputação, enquanto Octávio Machado o fez em duas ocasiões.

Recorde-se que a acusação contra a Sporting, SAD foi considerada prescrita.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.