O foco da equipa técnica do Benfica, liderada por Nelson Veríssimo, está apenas “nos quatro jogos que faltam” e na final da Taça de Portugal de futebol, afirmou hoje o sucessor de Bruno Lage no comando dos ‘encarnados’.

De tal forma que, garantiu, por muito que os jornalistas presentes na conferência de imprensa de lançamento do encontro com o Famalicão pudessem “não acreditar”, o técnico “nem sabia” que o FC Porto entra em campo antes do Benfica na 31.ª jornada da I Liga e não pensou na hipótese de permanecer no comando da equipa por ser uma questão que “neste momento não faz sentido”.

“Foi-nos colocada a tarefa de orientar a equipa até à final da Taça [de Portugal] e o foco só tem de estar aí. Nós sabemos o que temos de fazer, o nosso objetivo é ganhar os quatro jogos que faltam e é com esse espírito que vamos para o jogo de amanhã [quinta-feira], independentemente do que possa acontecer”, sublinhou, no Seixal, o sucessor de Bruno Lage.

A ideia foi repetida em várias intervenções do treinador, que o Benfica confirmou esta semana que ficará no comando da equipa até ao final da época, incluindo quando foi questionado sobre se Jorge Jesus seria uma boa solução para liderar os ‘encarnados’ na próxima época ou se poderia vir a integrar a sua equipa técnica.

“Percebo essa questão, porque tem-se vindo a colocar, mas isso não é uma área de intervenção que me diga respeito. Uma boa solução passa por ganhar o jogo de amanhã [quinta-feira]”, atalhou Nelson Veríssimo.

Sempre com o “foco” na deslocação a Famalicão, o técnico negou que, em função do atraso de seis pontos em relação ao FC Porto, os próximos jogos sirvam essencialmente para preparar a final da Taça de Portugal, frente aos ‘dragões’, e voltou a referir-se aos métodos da equipa técnica de Bruno Lage, com os quais se “identificava”, sem embargo de poder “criar outra dinâmica”.

“A linha de raciocínio será muito parecida, com uma dinâmica que possa ser implementada em função dos jogadores e do momento”, explicou Nelson Veríssimo, antes de falar de um adversário (Famalicão) que ”tem uma forma de jogar de equipa grande”.

“Gosta de ter a bola, de ocupar os espaços na amplitude máxima do campo e, em alguns momentos, pode desequilibrar-se, fruto desse posicionamento. Obviamente, foi um dos aspetos que tivemos em conta. Teremos de ser uma equipa muito organizada e competitiva, potenciar algumas virtudes e colmatar as lacunas que encontramos em alguns momentos do jogo”, analisou o treinador que venceu o Boavista (3-1) no encontro da sua estreia.

O Benfica visita o Famalicão na quinta-feira, às 21:30, numa partida da 31.ª jornada da I Liga que arranca já depois do final do encontro do FC Porto no terreno do Tondela, que tem início agendado para as 19:15.

Em caso de vitória dos ‘dragões’, a equipa de Nelson Veríssimo fica obrigada a somar pontos para impedir que o rival festeje o título já na quinta-feira, quando ainda faltarão disputar três jornadas até ao final do campeonato.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.