No programa ´Chama Imensa` da BTV, o Benfica denunciou aquilo que considera ser um ´Novo Apito Dourado`, uma ´teia` de personalidades ligadas ao FC Porto e que, explica, estão a tentar influenciar as arbitragens.

Depois de acusar Pinto da Costa, presidente do FC Porto, de liderar um grupo de pessoas que têm por objetivo condicionar as arbitragens, José Marinho lançou cinco questões que quer ver respondidas.

“O Benfica não está a fazer nenhum julgamento. O Benfica quer saber se isto é verdade e se a investigação avançará. Há questões que têm de ter resposta. Várias delas: é ou não verdade que:

1 - Pinto da Costa telefonou a um árbitro internacional que é um dos principais promotores da greve da Taça da Liga. A greve era do interesse do FC Porto e do Sporting. Mais do que controlar, o FC Porto quer dar a ideia de que manda e condiciona para que isso tenha efeito nos árbitros.

2 - É ou não verdade que Pinto da Costa pediu a António Perdigão para falar com árbitros para os tentar influencia-los a não fazerem greve. É ou não verdade que vários árbitros foram consultados por este colaborador com este propósito. É ou não verdade que António Perdigão se encontrou com um árbitro para furar a greve com o argumento: “Vocês têm de estar bem com o FC Porto e o presidente. Olhem para o que aconteceu ao Cosme Damião”.

3 - Luís Gonçalves falou com Monteiro da Silva para ele convencer os árbitros a ‘furar’ a greve que estava planeada.

4 - O diretor geral do FC Porto prometeu que os árbitros que furassem a greve não desceriam de categoria.

5 - Luís Gonçalves encontra-se com ex-árbitros e dirigente da AF de Braga”

Sobre este alegado ´Novo Apito Dourado`, José Marinho acredita que "já não terá capacidade para influenciar árbitros como há 20 anos"

“O ´Novo Apito Dourado` já não terá a capacidade para influenciar os árbitros como há 20 anos. Estes árbitros não se deixam influenciar assim tanto”, frisou o antigo jornalista, dando um exemplo da forma como os árbitros são condicionados.

“Se um árbitro recebe um telefonema a perguntar pela filha… Os árbitros são pais, tem filhos e família… Não vamos recriminar os árbitros que sejam condicionados por questões assim. Temos de recriminar as instituições que os condicionam. Toda a gente sabe em Portugal que os árbitros são condicionados”, atirou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.