“Entramos num ciclo diferente e, acima de tudo, queremos dar uma nova imagem do clube, independentemente da posição final na tabela classificativa. Neste momento não fazemos contas. Unicamente queremos fazer contas em relação ao próximo jogo, no qual podemos garantir três pontos”, observou o técnico, em conferência de imprensa.

Sem vencerem há cinco partidas, os avenses ousam uma postura “diferente e para melhor” no embate frente aos lisboetas, inserido numa ronda que assinala a retoma do campeonato, sob fortes restrições e sem público nos estádios, até 26 de julho, após quase três meses de pausa motivada pela pandemia de covid-19.

“Foi uma novidade para todos e nesse aspeto estão todos em pé de igualdade. Veremos como as equipas vão responder nestas primeiras jornadas e só assim podemos perceber se esta paragem foi ou não benéfica. Estivemos cerca de 100 dias sem competir e entramos numa nova fase. São 10 jogos, mas só pensamos no primeiro”, assegurou.

Defendendo que as “estruturas e condições de trabalho diferentes” entre clubes podem acarretar “algumas vantagens em determinados momentos destes dois meses de competição”, Nuno Manta Santos espera um Belenenses SAD “tranquilo”, que vinha apresentando “boas dinâmicas” até meados de março e “estava numa fase crescente”.

“É uma equipa experiente, que não perdia há quatro jogos e certamente dificultará muito a nossa tarefa. Veremos como a equipa vai reagir [ao jogar em casa à porta fechada]. Uma coisa é treinar e fazer jogos de treino, outra é um jogo oficial sem adeptos. Vai ser uma realidade nova para mim e para muitos dos meus atletas”, constatou.

O treinador avense terá de colmatar as ausências dos castigados Luiz Fernando e Rúben Macedo, enquanto o guarda-redes francês Quentin Beunardeau e o avançado brasileiro Welinton Júnior rescindiram de forma unilateral no início de abril, evocando o atraso salarial verificado entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020.

“Sabíamos desde o início desta retoma que havia dois jogadores que não faziam mais parte do plantel. Já os castigos podem acontecer em qualquer momento da época. Trabalhámos afincadamente durante quatro semanas para apresentar um ‘onze’ que dê garantias de disputar o jogo com a intenção máxima de conseguir os três pontos”, frisou.

O processo seguiu da Liga de clubes para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol em 03 de abril e pode acarretar dois a cinco pontos de penalização, perante dívidas que a SAD liderada pelo chinês Wei Zhao justificou com a paralisação da atividade económica na China, motivada pelo novo coronavírus.

“Não nos preocupamos com isso, mas apenas em estarmos nas melhores condições possíveis amanhã [sexta-feira] para apresentar uma boa equipa, dar uma boa imagem e entrar num novo ciclo para o clube”, insistiu Nuno Manta Santos, que também não vai contar com o único jogador infetado pela covid-19, que permanece em isolamento.

Ao abrigo do protocolo estabelecido para o reinício do campeonato, os nortenhos e os lisboetas submeteram-se na terça-feira à primeira fase de despistagem obrigatória, com um período de antecedência de 72 horas do encontro, tendo o emblema do concelho de Santo Tirso comunicado no dia seguinte a inexistência de casos positivos.

O Desportivo das Aves, 18.º e último classificado, com 13 pontos, nove abaixo da zona de salvação, recebe o Belenenses SAD, 14.º colocado, com 26 pontos, na sexta-feira, às 21:15, no Estádio do CD Aves, num jogo com arbitragem de João Pinheiro, da associação de Braga, que será antecedido por nova bateria de exames ao novo coronavírus.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.