A formação nortenha venceu com justiça um jogo que começou em desvantagem e teve quatro golos em cada parte, merecendo destaque William, que “bisou” e passou a somar nove tentos na prova.

O Paços de Ferreira, sem perder para a Liga desde 18 de Dezembro (derrota em casa frente ao Sporting de Braga por 1-0), passou a somar 29 pontos, ultrapassando a União de Leiria (27 pontos), Marítimo (26) e Nacional (26) e igualando provisoriamente o Sporting.

Por seu lado, o Vitória de Setúbal, que não ganha desde 20 de Dezembro (3-2 em casa frente ao Marítimo), somou a segunda derrota consecutiva na Liga e manteve 16 pontos e o 14.º lugar, uma ponto acima do Leixões, 15.º.

O regresso de Jorginho, em substituição de Ozeia, foi a única novidade no “onze” do Paços de Ferreira, enquanto no Vitória de Setúbal registaram-se cinco alterações em resposta à derrota em casa frente à Naval 1.º Maio (0-1).

Manuel Fernandes tinha assumido uma atitude diferente da equipa e a verdade é que o jogo não podia ter começado melhor, com o golo “madrugador”, logo aos dois minutos, apontado por Keita, o seu sexto na Liga, após passe de Ney.

O Vitória de Setúbal, em 4-3-3, moralizou-se e Henrique (três minutos) e Keita (nove) poderiam ter ampliado a vantagem, mas falharam e, aos 26, após um livre de Maykon, os defesas forasteiros não conseguiu tirar a bola da sua área e Pizzi estreou-se a marcar.

Os locais moralizaram-se com o golo, passaram a mandar e, depois de levarem mais um “susto” de Keita, aos 29 minutos, passaram para a frente, aos 33, por William, de grande penalidade, a castigar alegada mão de Bruno Ribeiro.

Ainda antes do intervalo, Maykon, o melhor jogador em campo, fez o terceiro tento dos pacenses (soma cinco golos na Liga), com um remate cruzado, na área.

Os sadinos voltaram a entrar melhor na segunda parte, e Hélder Barbosa, aos 51 minutos, recolocou o Vitória de Setúbal na discussão do jogo, ao reduzir o resultado com um remate colocado e de longe.

Este lance foi o espelho de um jogo aberto e com muitos golos, apesar da chuva e do terreno pesado: Danielson, aos 55 minutos, voltou a alargar a vantagem dos locais, beneficiando de um erro de Mário Felgueiras, mas os sadinos reentraram no jogo, com um tento de Paulo Regular, aos 83.

O encontro acabou por ser decidido por William, que apontou aos 89 minutos o quinto tento dos locais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.