O guarda-redes do Vitória de Setúbal, Pedro Trigueira, negou através das redes sociais as suspeitas de corrupção ligadas à operação Cashball que foram avançadas este sábado pelo Correio da Manhã.

De acordo com o generalista, Trigueira estaria envolvido num alegado suborno do Sporting para o campeonato e para a final da Taça da Liga, que os 'leões' venceram após derrotarem no desempate por grandes penalidades o Vitória de Setúbal.

"Infelizmente o dedo é sempre apontado a quem nada tem a temer. Desta vez calhou-me a mim. Estava eu no sofá a ver as capas dos jornais para amanhã e leio esta notícia que vai sair amanhã no CM. Lamento por mim e pela minha família ver o meu nome ligado a esquemas de corrupção quando me posso orgulhar de ter a alma lavada desses esquemas", começa por dizer Pedro Trigueira.

"Ridículo estarem em causa dois jogos que eu me orgulho de ter feito boas exibições. Não têm qualquer fundamento estas acusações. Se alguém utilizou o meu nome para ganhar dinheiro espero que com esse dinheiro faça então umas boas férias ou ande num bom carro enquanto eu, que me declaro inocente desta palhaçada de assunto, tenho que levar com esta mancha negra em cima do meu nome", acrescentou, antes de garantir que vai avançar com um processo por "difamação" contra o Correio da Manhã.

Mais tarde voltou a sublinhar a sua inocência: "Esclareço: Não tentou nem comprou!."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.